Kleber Pereira nega renovação com o Santos e admite sair

Atacante diz que as negociações estão em andamento e reconhece possibilidade de ir para o Corinthians

Sanches Filho, Especial para O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2008 | 15h36

Um dia depois de o presidente do Santos, Marcelo Teixeira, declarar que Kleber Pereira tem um pré-contrato assinado e vai continuar no time santista no segundo semestre, o artilheiro afirmou, neste sáabdo cedo, que nada foi acertado ainda e não descartou a possibilidade de ir para o Corinthians. "Se o presidente falou é porque está confiante. Mas, não vou mentir: tem vários clubes interessados na minha contratação. E, por enquanto, não tenho nada assinado. Foi só na palavra. Já briguei muito com presidentes de clubes e agora quem discute essa parte é meu irmão [Daniel Pereira] que chega a Santos na sexta-feira. As partes vão se sentar e ver se estão de acordo", explicou o atacante.Ao ser informado por um jornalista que o Corinthians teria desistido de contratá-lo por considerar o seu salário alto demais, Kleber Pereira mostrou-se surpreso e contou que abriu mão de muito dinheiro quando decidiu voltar ao futebol brasileiro, no meio do ano passado. "Não gosto de falar quando eu ganho ou deixo de ganhar. E se não acertar com o Santos, que é a minha preferência, e nem com o Corinthians, volto para o México. Mas, agradeço o apoio do presidente do Corinthians e do Antônio Carlos."Kleber Pereira confirmou que pediu para ser escalado para jogar contra a Ponte Preta, neste domingo à tarde, na Vila Belmiro. "Fiquei satisfeito por Leão ter concordado. Quando se tem um objetivo, a gente tem que brigar por ele. Mas, com todo respeito ao Corinthians e ao São Paulo, estou aqui para ajudar o Santos", esclareceu. "Quando pedi para jogar foi pensando em ser o artilheiro do Campeonato Paulista [está em primeiro lugar, com 12 gols] e não em ajudar A ou B. Sem falar que não adianta nada se o Santos ganhar aqui [na Vila] e o Corinthians perder lá [em Bauru]", completou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.