Hélvio Romero/AE - 16/2/2011
Hélvio Romero/AE - 16/2/2011

Kléber prevê desmanche com novo fracasso palmeirense

'Ano passado a perda da Sul-Americana foi lamentável e se acontecer uma situação dessas este ano será muito difícil', admitiu o atacante

AE, Agência Estado

18 de fevereiro de 2011 | 13h42

A decepção vivida no ano passado pelo Palmeiras, após a eliminação na Copa Sul-Americana para o Goiás, ainda incomoda os jogadores do elenco alviverde. O atacante Kléber, por exemplo, afirmou nesta sexta-feira que, em caso de nova derrota deste tipo no ano, muita coisa deverá mudar na equipe.

"Ano passado a perda da Sul-Americana foi lamentável e se acontecer uma situação dessas este ano será muito difícil. Provavelmente não ficará mais nenhum jogador no clube. Temos entendido isso e percebemos que está na hora de mudar", afirmou o atacante, em entrevista à TV Bandeirantes.

Apesar de admitir a preocupação, o Palmeiras vive boa fase no Campeonato Paulista. A equipe lidera a competição, com 19 pontos. Artilheiro do time, com cinco gols, Kléber comemorou o bom momento, mas lamentou o fato de ainda não ter recebido oportunidade na seleção brasileira.

"É necessário muito lobby. Às vezes a gente pensa que poderia estar lá (na seleção). A imprensa, principalmente de Rio e São Paulo, coloca jogadores na seleção. Eu, por exemplo, fiz um bom ano em 2008, melhor em 2009, este ano tenho jogado bem. Às vezes a gente joga três, quatro anos bem e não vai. Outros, que jogam seis meses, vão", analisou.

O atacante tem atuado mais centralizado este ano. Mesmo fora de sua posição de origem, ele afirmou que não vê problemas em jogar desta forma. "Não tenho problemas com formações. Não temos que ficar escolhendo posição. Somos pagos para jogar onde o treinador mandar. Não é como sempre joguei, mas se precisar não tem problema", disse.

Veja também:

linkFelipão comemora opções no Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.