Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Kléber se desculpa no Palmeiras e admite 'vergonha' pela eliminação

'Realmente é uma vergonha, pois eu sei o que o torcedor está passando', diz o atacante

AE, Agência Estado

25 de novembro de 2010 | 15h50

SÃO PAULO - Assim como o técnico Luiz Felipe Scolari, o atacante Kleber assumiu a sua parcela de culpa pela eliminação do Palmeiras na Copa Sul-Americana, consumada na última quarta-feira à noite, no Pacaembu, com a derrota por 2 a 1 para o Goiás no duelo de volta da semifinal da competição. O jogador, que teve atuação apagada no confronto e admitiu estar envergonhado, pediu desculpas aos torcedores palmeirenses.

Veja também:

link Luiz Felipe Scolari tem missão de juntar os cacos e reformular tudo para 2011

"Eu também assumo a culpa pelo fracasso. Tentamos, mas não conseguimos. Realmente é uma vergonha, pois eu sei o que o torcedor do Palmeiras está passando. Um clube tão acostumado com títulos e que pouco ganhou na década. É frustrante, pois tínhamos toda uma expectativa nessa Copa Sul-Americana. Peço desculpas, pois posso garantir que trabalhamos e nos concentramos para fazer o nosso melhor", afirmou Kléber, em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo site oficial do clube do Palestra Itália.

Ao mesmo tempo, porém, Kléber adotou um discurso otimista ao projetar os objetivos para o próximo ano. "Agora é ver o que vai acontecer, mas gostaria de pedir à torcida que continue acreditando. Sei que o discurso sempre tem sido esse, mas 2011 temos um novo ano pelo frente, cheio de perspectivas e tenho certeza de que as coisas vão melhorar", disse.

O tom de lamentação, entretanto, pontuou a entrevista de Kléber, que apontou o elenco reduzido do Palmeiras como um dos motivos para a eliminação na Copa Sul-Americana e a campanha ruim no Campeonato Brasileiro. "Não estou desmerecendo ninguém, mas todos sabem que o elenco é reduzido em quantidade de jogadores. O Valdivia (que está lesionado), por exemplo, fez uma falta absurda", afirmou.

Kléber ainda comentou sobre o duelo do próximo domingo, contra o Fluminense, em Barueri, onde Felipão deverá optar por escalar uma equipe reserva, pois o Palmeiras já não luta por nenhum objetivo no Campeonato Brasileiro. E o jogador evitou opinar sobre o fato de que a partida interessa diretamente ao Corinthians, que está na briga direta pelo título com o time carioca.

"Não sei se vou jogar. Se o Felipão quiser, estou à disposição. E também não temos muito o que ficar falando de Corinthians. Eles estão em segundo e precisam ganhar. Nós estamos em décimo e não temos mais nada a fazer." 

Noite longa. Se Kléber pediu desculpas e lamentou a eliminação do Palmeiras, o goleiro Deola admitiu nesta quinta-feira que passou uma péssima noite depois da derrota para o Goiás. Para completar, ele ainda acordou mais cedo do que o normal, em um dia seguinte a um jogo, para colaborar com uma campanha de doação de sangue promovida pelo Hcor (Hospital do Coração), em São Paulo.

"Fui dormir muito tarde, não conseguia dormir. Seria minha primeira final pelo Palmeiras. Mas fiz questão de comparecer no HCor. Vim por uma boa causa e espero conseguir incentivar outras pessoas a passaram aqui e a doarem sangue", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.