Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Kleina festeja 'goleada' e Wesley deixa futuro em aberto

No último sábado, Palmeiras venceu o Paraná de virada no Pacaembu

RAPHAEL RAMOS, Agência Estado

11 de agosto de 2013 | 09h28

SÃO PAULO - Para o técnico Gilson Kleina, o Palmeiras teve no último sábado a sua partida mais difícil nesta Série B. O treinador admitiu que a equipe sofreu para conseguir furar a forte defesa do Paraná, derrotado por 2 a 1, depois de abrir o placar no primeiro tempo e sofrer dois gols na etapa final. "Para nós, foi como uma goleada. Enfrentamos um time que abdicou do ataque para só se defender", avaliou o treinador.

Kleina também agradeceu o apoio do torcedor no Pacaembu, mas também pediu paciência ao comentar o fato de a equipe ter sofrido para derrotar o rival. "É preciso entender que não é em todo jogo que vamos conseguir um placar elástico. Mostramos que podemos sair atrás e reagir como também sair na frente e manter a vantagem", disse o comandante.

Autor do segundo gol palmeirense no duelo, o volante Wesley disse não saber se continua no clube - o Atlético-MG tem interesse em contratá-lo por empréstimo. "Estou feliz, com a cabeça aqui e espero dar continuidade, mas nunca se sabe o dia de amanhã. Estou indo hoje para casa como jogador do Palmeiras. Agora, o futuro a Deus pertence", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.