Kleina pede demissão, e Paraná acerta com Lori Sandri

Com apenas uma vitória em oito jogos, treinador deixa a equipe curitibana na 15.ª posição no Brasileirão

20 de agosto de 2007 | 22h20

Após amargar sete rodadas seguidas sem vencer, o treinador Gílson Kleina pediu demissão do Paraná na noite desta segunda-feira. A decisão foi tomada após uma reunião com o presidente José Carlos de Miranda, que já fechou com Lori Sandri para assumir a equipe curitibana - o novo comandante será apresentado na manhã de terça.Contratado em julho para o lugar de Pintado, que acertou com uma equipe dos Emirados Árabes, Kleina venceu apenas uma partida em oito jogos à frente da equipe - foram cinco derrotas e dois empates nos demais confrontos. Ele obteve aproveitamento de 20,8% dos pontos disputados. O seu único triunfo foi na estréia, diante do Palmeiras (1 a 0), no dia 22 de julho.Lori Sandri, que já trabalhou no América-RN neste Brasileirão, irá assumir o Paraná pela segunda vez. Na primeira ocasião, em 2005, ele levou o clube à sétima colocação no Nacional.Somando 24 pontos na classificação do Brasileirão, o Paraná ocupa a 15.ª posição, com quatro pontos à frente do Náutico, o primeiro a figurar na zona de rebaixamento. O time paranaense volta a jogar pelo torneio no próximo domingo, quando recebe o Juventude, no Estádio da Vila Capanema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.