Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Kleina quer ser técnico palmeirense no ano do centenário

Kleina quer grandes conquistas no clube para honrar história de 100 anos do Alviverde

CIRO CAMPOS, Agência Estado

27 de agosto de 2013 | 21h33

SÃO PAULO - Um dia após o Palmeiras completar 99 anos e iniciar a contagem regressiva para o centenário, o técnico Gilson Kleina deixou escapar nesta terça-feira a vontade de estar no cargo daqui um ano, quando o clube vai comemorar a data.

"As coisas no ano que vem não dependem só de mim, o que posso fazer é manter o trabalho e o comprometimento. Se tiver que acontecer, vai acontecer", disse ele nesta terça-feira, após o último treino antes da partida entre Palmeiras e Atlético-PR, pela Copa do Brasil. O encontro marca a estreia do time com uma camisa comemorativa pelos 99 anos. O uniforme é branco e leva no peito um emblema dourado alusivo ao aniversário.

Kleina chegou ao cargo em 2012, ao deixar a Ponte Preta, e assumiu o compromisso de tentar livrar o time do rebaixamento. Embora não tenha conseguido, permaneceu no posto e em 2013 levou a equipe às oitavas de final da Libertadores, além de liderar a Série B atualmente. "Fico feliz de comandar um clube que entrou no ano do centenário, sabe da grandeza e do patrimônio que é a torcida. Precisamos de grandes conquistas para honrar esse história", afirmou.

O técnico contou que prefere não projetar metas longas, mas sim pensar em um jogo de cada vez. Apesar disso, ele sabe que buscar as taças da Série B e da Copa do Brasil são façanhas fundamentais para ganhar moral e garantir a manutenção dele no comando do elenco no ano que vem.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasGilson Kleina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.