Alex Silva/Estadão - 06/05/2013
Alex Silva/Estadão - 06/05/2013

Kleina reafirma continuar no Palmeiras e pede reação rápida do time

Técnico minimiza crise e garante que não se sente ameçado a perder o cargo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

29 de agosto de 2013 | 16h55

SÃO PAULO - O técnico Gilson Kleina, do Palmeiras, reafirmou nesta quinta-feira, durante o desembarde da equipe no Aeroporto do Congonhas, que não se sente ameaçado a deixar o cargo e disse que é preciso ter tranquilidade para superar os problemas resultantes com a eliminação na Copa do Brasil diante do Atlético-PR. A equipe teve atuação apática em Curitiba e perdeu por 3 a 0.

"Não me sinto ameaçado no cargo, reuniões com a diretoria acontecem todos os dias", disse, ao comentar o fato de que o presidente palmeirense Paulo Nobre irá cobrar explicações dos jogadores e da comissão técnica em encontros reservados. "No futebol, no Brasil, você é analisado pelo resultado, mas temos que pontuar em tudo. Pelo que estamos avaliando e tudo que está acontecendo. O que mais foco é no trabalho e que possamos reagir o mais rápido possível", completou.

O comandante também voltou a lamentar os desfalques que teve para o confronto - não contou com o meia Valdivia e os atacantes Ananias e Vinícius, todos lesionados. "Tivemos muitos problemas com lesões e estávamos com poucas opções para armar o time contra o Atlético-PR, por isso tivemos um resultado negativo", analisou.

O elenco volta a atuar já no próximo sábado, em Fortaleza, quando enfrenta o Ceará. Na sequência o Palmeiras recebe o Chapecoense, terça-feira, no Pacaembu, em confronto direto pela liderança da Série B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.