Klinsmann afirma que vai atacar até o Brasil no Mundial

Em entrevista ao Serviço Alemão de Informações Esportivas, uma espécie de agência nacional de notícias de esportes, o treinador da seleção alemã, Jürgen Klinsmann, declarou, em Genebra, que sua filosofia de jogo ofensivo não será alterada, nem mesmo contra o Brasil. ?Não vamos mudar nada. Mesmo quando jogarmos contra o Brasil, não vamos ficar atrás. Vamos procurar jogar para frente, exercer pressão? atestou Klinsmann. Apesar de não temer o favorito para o Mundial, o técnico revela que sua equipe ainda tem de evoluir muito. ?Ainda temos o que aprender para praticar esta filosofia de jogo de uma forma mais compacta. Para chegar a esse objetivo, trabalhamos intensivamente neste momento".Sobre seu objetivo na Copa do Mundo, que começa daqui a 16 dias com a estréia contra a Costa Rica, em Munique, Klinsmann não pensa em alcançar menos do que o título. ?Não há um objetivo mínimo, isso não existe na nossa forma de pensar. Existe apenas um objetivo máximo - ser campeão mundial?, declarou o treinador alemão. ?Se tivéssemos um objetivo mínimo, ficaríamos tentando sempre chegar num nível acima. Não podemos nos basear em chegar nas quartas-de-final e dizer que foi um sucesso, por exemplo. Seria uma falsa orientação. Temos de nos orientar sempre pelo máximo?.Mesmo depois de receber várias críticas, Klinsmann explica porque mantém a confiança na sua jovem equipe. ?Estamos 100% convencidos de que vamos ter sucesso na luta pelo título. Estar convencido é o princípio de todo o sucesso, e todos no grupo estão convencidos?, analisa o campeão mundial de 1990. ?É claro que, para alcançar um objetivo como este, dependemos de vários fatores. Mas temos uma jovem equipe que está pronta para se tornar verdadeiramente forte. A preparação e o engajamento são exemplares. Todos estão trabalhando muito centrados no objetivo e com muita descontração?, acrescentou. "Posso prometer aos alemães que a equipe fará de tudo para empolgar seus torcedores, vai mostrar toda sua aplicação, todo seu gás?.Sobre seu futuro, Klinsmann não quer saber de decisões. Não revela se pretende continuar no comando da equipe alemã, mesmo sendo campeão do mundo, ou se tem outro sonho para realizar como treinador. ?Não quero fazer qualquer declaração em relação ao meu futuro. Espero estar presente na decisão do dia 9 de julho, em Berlim. Se vou continuar ou não à frente da seleção, vou definir somente depois do Mundial. Quero sair da situação para poder decidir melhor?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.