Klinsmann pretende mudar futebol na Alemanha

Além de buscar o título da Copa do Mundo de 2006, Jürgen Klinsmann quer entrar para a história do futebol mundial como o técnico que revolucionou e tornou mais criativa a forma de jogar dos alemães. ?Iniciamos há dois anos um trabalho para colocar em campo um jogo mais atraente e rápido. Sei que, se obtivermos êxito, podemos servir de exemplo daqui para frente?.Ex-atacante habilidoso, campeão da Copa de 1990, Klinsmann privilegia atletas que, além de marcar, saibam sair com a bola, driblar e inventar jogadas. Não à toa seu homem de confiança em campo, batedor oficial de faltas e escanteio, é o garoto de 21 anos Bastian Schweinsteiger, do Bayern de Munique. ?Gosto da habilidade que ele tem e da capacidade de ser diferente?, comentou o técnico. Ele admira a versatilidade de Podolski e a velocidade de Odonkor. Rasgou elogios também a Philipp Lahm, pelos bons toques, por sua visão de jogo.Em suma, o técnico busca um time ?que agrida, não se retraia?. ?Acredito que essa identidade que estamos construindo será repetida pelas categorias de base da Alemanha, pelos garotos do sub-20, sub-17, e isso aos poucos vai mudando a filosofia do futebol do país?.Uma das marcas de seu trabalho aparece nas cobranças de faltas e escanteios. Em vez da tradicional receita alemã - passes pelo alto à procura do cabeceio -, Klinsmann exige variações, ora com toques para a finalização de um atleta na entrada da área, ora com tabelas entre atacantes e meio-campistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.