Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

Klopp admite alívio com título no Liverpool após seis derrotas em finais

Treinador alemão levanta primeira taça pelo clube após vitória sobre o Tottenham, na Liga dos Campeões

Redação, Estadão Conteúdo

01 de junho de 2019 | 20h46

Se o técnico Jürgen Klopp é a "cara" do atual do time do Liverpool, a imagem do tradicional clube inglês era de felicidade e alívio. Não por acaso. Klopp enfim celebrou seu primeiro título pela equipe. Além disso, se sagrou campeão da Liga dos Campeões após bater na trave por duas vezes, tanto pelo clube inglês quanto pelo Borussia Dortmund.

"Não tenho palavras, é incrível. Foi tudo muito intenso nesta temporada. Fizemos uma grande final. Estou tão feliz pelos meninos, por todas estas pessoas, pela minha família. Eles sofrem por mim, até mais do que eu, merecem mais do que ninguém", festejou o treinador.

O título da Liga dos Campeões, a maior conquista do continente, serviu quase de "consolo" para o Liverpool em razão da decepção no Campeonato Inglês. Com uma campanha de campeão, perdeu o troféu por apenas um ponto para o Manchester City, numa disputa rodada a rodada até o jogo final. O time busca este título há quase 20 anos.

A perda deste campeonato reforçou a imagem não muito positiva de Klopp em jogos decisivos. Antes da decisão deste sábado, na vitória sobre o Tottenham por 2 a 0, o técnico somava derrota em seis finais disputadas pelo Liverpool e pelo Borussia: foram dois vices na Copa da Alemanha, um na Copa da Liga Inglesa, um na Liga Europa e dois na Liga dos Campeões.

"Para ser honesto, estive em seis finais, perdi todas elas. As pessoas sempre me dizendo: 'Por que você não ganhou nada? Demorou um pouco, foi importante para o nosso desenvolvimento e aperfeiçoamento, o título ajuda muito, agora podemos continuar. Estamos realizando coisas boas. É assim que eu entendo a sorte: se você trabalha para ganhar um título, um dia ele virá", comentou.

Os revezes, contudo, nunca abalaram a confiança do torcedor e do elenco do time. "Sem este treinador, isto tudo seria impossível. Você atravessa momentos difíceis ao longo de uma temporada, mas o que ele fez neste time desde que chegou aqui é inacreditável", disse o volante e capitão Jordan Henderson.

Para o jogador, Klopp é o responsável não apenas pela montagem da equipe - oito dos 11 titulares da final deste sábado foram contratados por ele -, mas também pela coesão e união do grupo. "Há um sentimento de união aqui, ele criou um vestiário muito especial. Todas as honras cabem a ele."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.