Peter Powell / EFE
Peter Powell / EFE

Klopp critica ritmo frenético do calendário do futebol inglês

Técnico do Liverpool ironiza excesso de jogos em dezembro e janeiro: 'ruim para relacionamentos'

AFP, AFP

04 de janeiro de 2020 | 09h48

O técnico do Liverpool, Jürgen Klopp, voltou a criticar nesta sexta-feira o ritmo frenético dos jogos de futebol, em uma época do ano especialmente carregada na Inglaterra, segundo a tradição.

"Como tudo na vida, a qualidade deve prevalecer sobre a quantidade. Se você tem um grande amigo e você o vê duas vezes por ano, ótimo, melhor momento da sua vida. Se você o vê todos os dias, depois de cinco dias você pensa: ‘Mas que droga’. Mas o que nós fazemos é jogar futebol nas pessoas. Quantos jogos aconteceram no Boxing Day? (dia 26 de dezembro)", questionou Klopp.

"Talvez tenha havido alguns homens que, provavelmente, viram todos eles ao vivo. Não acho que isso seja bom para o relacionamento deles. Não é bom para o meu, e eu já vejo muito futebol", brincou o treinador alemão.

O Liverpool, líder do Campeonato Inglês, venceu o Mundial de Clubes no Catar em 21 de dezembro, derrotando o Flamengo por 1 a 0. Desde então, jogou e venceu três jogos no torneio nacional, sem as férias de Natal, e no domingo assumirá outro compromisso, recebendo o Everton pela terceira rodada da Copa da Inglaterra.

"Adoramos esse esporte, mas, no fim das contas, precisamos garantir que o melhor time vença, e não o mais sortudo com as lesões. Se precisarem de mim nessa discussão, estou aqui", dispôs-se Klopp.

Após a vitória de quinta-feira por 2 a 0 sobre o Sheffield United, o guineense Naby Keita, que se machucou no aquecimento, se juntou à lista dos contundidos dos time de Klopp. Outras equipes inglesas também sofreram perdas significativas neste momento de ritmo alucinante do futebol do país.

É o caso do Tottenham, que logo no primeiro dia do ano teve a lesão do atacante Harry Kane, lesionado na coxa contra o Southampton e que poderá ficar um longo período afastado. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.