Ronald Wittek/ EFE
Ronald Wittek/ EFE

Klopp exalta recuperação do Bayern e cogita Fabinho na zaga do Liverpool

Virgil van Dijk, principal zagueiro do time inglês, está suspenso para o confronto

Redação, Estadão Conteúdo

18 de fevereiro de 2019 | 13h02

O técnico Jürgen Klopp admitiu nesta segunda-feira que a reação do Bayern de Munique na temporada preocupa o Liverpool na véspera do jogo de ida entre as duas equipes, no Anfield Road, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões. E um dos motivos é a sequência de desfalques na defesa do time inglês, o que pode obrigar Klopp a improvisar o volante brasileiro Fabinho na zaga.

O Bayern fez um fraco início de temporada e chegou a ficar longe da liderança do Campeonato Alemão por seguidas rodadas. No entanto, o time começou a reagir no fim do ano passado. Do fim de novembro até agora, sofreu apenas uma derrota em 14 jogos, em todas as competições. Como consequência, se recuperou na competição e está a apenas dois pontos do líder Borussia Dortmund.

"Depois de seis anos dominando o Alemão, é claro que este ano seria diferente. Para se sagrar campeão, é necessário aquele desejo da primeira vez e, ao mesmo tempo, um elenco de qualidade. Eles não tiveram isso no início da temporada, mas agora estão revertendo a situação. Para mim, isso os torna muito perigosos", avalia Klopp.

Para conter o novo ímpeto dos alemães, o treinador terá dificuldades para montar a zaga. Virgil van Dijk, principal zagueiro do time, vai cumprir suspensão. Dejan Lovren ainda se recupera de lesão e tem chances remotas de jogar nesta terça. E Joe Gomez que, com Van Dijk fez o Liverpool a melhor defesa da Europa no início da temporada, passou recentemente por cirurgia.

Diante de tantas baixas, Klopp cogita escalar Fabinho na zaga. "Se o Fabinho jogar nesta posição, não será uma missão fácil. Mas é claro que estamos pensando em reforçar o setor, para não deixar a zaga sozinha contra o ataque do Bayern", disse o treinador, indicando uma postura mais retrancada do Liverpool em casa.

"Haverão momentos em que teremos que nos defender bem e estamos trabalhando nisso. Testamos isso porque respeitamos a qualidade do Bayern de Munique, como a velocidade, a técnica e a experiência do grupo", comentou o treinador, acostumado a enfrentar os rivais de Munique.

No comando do Borussia, Klopp perdeu a sua primeira final da Liga dos Campeões justamente contra o Bayern, em 2013. Ao mesmo tempo, faturou dois títulos do Alemão com resultados favoráveis sobre o adversário.

Nos três momentos decisivos (os dois títulos e o vice-campeonato), Klopp contou em seu elenco com o zagueiro Mats Hummels e o atacante Robert Lewandowski. Nesta terça, eles estarão do outro lado, vestindo a camisa do Bayern.

"Eu trabalhei com estes dois garotos e adorei a experiência. São dois jogadores fantásticos e eu tenho que ser grato a eles. Provavelmente minha carreira seria outra sem eles. Todos nos beneficiamos um do trabalho do outro", comentou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.