Klopp rejeita protagonismo antes de se despedir do Borussia em final

Chegará ao fim, neste sábado, a sétima e última temporada de Jürgen Klopp à frente do Borussia Dortmund. E o treinador, que marcou é época no clube, tem a chance de se despedir faturando o título da Copa da Alemanha, na final contra o Wolfsburg, em Berlim. Depois de receber diversas homenagens da torcida no seu último jogo em casa, sábado, pela última rodada do Alemão, ele agora quer passar despercebido.

Estadão Conteúdo

29 de maio de 2015 | 12h54

"Não é minha intenção ser herói amanhã (sábado). Estou feliz de deixar essa função com os jogadores", garantiu Klopp, nesta sexta-feira, na entrevista prévia à partida. "Era nossa meta no início da temporada estar aqui agora, então estou feliz que estamos aqui depois de uma temporada difícil."

O treinador, de apenas 47 anos, fez história no Borussia porque recolocou a equipe entre os grandes da Alemanha depois de o clube pedir falência em 2005 e sofrer com a ameaça do rebaixamento nas temporadas seguidas.

Com Klopp, a equipe de Dortmund fez a dobradinha Alemão/Copa da Alemanha em 2011, com direito a goleada sobre o Bayern de Munique na final da Copa, e chegou à final da Liga dos Campeões de 2013, exatamente contra o Bayern.

A diferença financeira entre os dois clubes, entretanto, tornou a concorrência desleal, a ponto de o Bayern ganhar com facilidade as últimas duas edições do Alemão. A equipe bávara tirou de Dortmund os dois craques do time, Mario Götze e Robert Lewandowski. Klopp procurou recompor o elenco, mas foi prejudicado por lesões.

Se faturar o título da Copa da Alemanha, neste sábado, Klopp vai deixar Dortmund com o posto de treinador mais vitorioso da história do clube, com seis taças, superando o lendário Ottmar Hitzfeld, com cinco. O treinador ainda não tem destino definido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.