Peter Byrne/AP
Peter Byrne/AP

Koeman critica calendário: 'estamos matando os jogadores, não pode seguir assim'

Técnico do Barcelona pede ação da Uefa e da LaLiga para reduzir acúmulo de partidas dos clubes grandes

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2021 | 20h32

O técnico do Barcelona, Ronald Koeman, fez uma longa crítica ao calendário do futebol espanhol por considerar que há jogos em excesso, podendo causar lesões nos jogadores. O treinador demonstrou a raiva com a situação em entrevista coletiva antes do jogo de sua equipe com o Bétis pelo Campeonato Espanhol neste domingo.

"É dificil. O número de partidas que têm as equipes grandes, com três competições, além do momento que vivemos com a covid-19, faz tudo mais difícil. É preciso falar com os jogadores para ver como estão fisicamente, as sensações. Às vezes tem que dar algum descanso para um para ter todo mundo nas melhores condições. Se contamos com a partida de amanhã e de quarta, são 12 jogos consecutivos, dos quais 11 fora de casa. E isso jogando às 21h, voltando para casa às 3h da manhã. É difícil para os jogadores poderem jogar todos (os jogos). Precisamos de ajuda", afirmou Koeman.

"Espero que algum dia a Uefa ou a LaLiga pense no número de partidas e no que fazem com os jogadores. Não é normal o que tem jogar, as viagens, os horários, fazer a Supercopa entre quatro time, na minha opinião, é muito. Cada treinador tem a sua opinião sobre a carga de jogos que tem os jogadores. Eu acredito que isso tem que parar. Estamos matando os jogadores. Isso não pode seguir assim. Temos muitas lesões relacionadas a isso. É impossível. Esperemos que algum dia tomem a decisão de ajudar aos jogadores com seu estado físico", completou o treinador do Barcelona.

A temporada europeia está tendo um acúmulo de partidas por conta da parada forçada pela pandemia de covid-19 em 2020 - a temporada 2019-20 acabou terminando muito depois do previsto, o que fez com que a 2020-21 começasse depois, embora vá terminar em um período 'normal' - embora alguns países, como a Inglaterra, já tivessem suas ligas nacionais criticadas pelo excesso de jogos.

Na coletiva, Koeman ainda afirmou que a renovação de Messi com o Barcelona depende unicamente do jogador, que vê feliz no clube; e que ainda tem esperança de ser campeão do Campeonato Espanhol, apesar de estar 10 pontos atrás do líder da competição, o Atlético de Madrid.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.