Königstein espera ansiosa a chegada da seleção brasileira

O hotel já foi decorado com as cores do Brasil. As faixas de saudação aos pentacampeões estão espalhadas pelas ruas. E as bandeiras brasileiras enfeitam muitas casas. A pequena e simpática Königstein, na Alemanha, espera ansiosa a chegada da seleção - a estadia começa neste domingo, quando a delegação chega da Suíça.A primeira casa do Brasil na Copa do Mundo da Alemanha fica bem perto de Frankfurt - são apenas 20 quilômetros. Em Königstein vivem cerca de 18 mil pessoas. Cidade pequena, tem muitos habitantes que não sabem falar inglês. Mas eles se esforçam para ajudar os turistas e não é difícil ouvir um ?obrigado? nas lojas e restaurantes.A seleção brasileira vai ficar hospedada no Kempinski Hotel, reservado inteiramente para receber a delegação. E irá treinar bem perto dali, num campo de uma academia que foi todo reformado. Essa região da cidade, chamada Falkenstein, deverá ser isolada pela polícia local. Tudo para dar privacidade e segurança ao time de Parreira.Acostumados com uma vida muito sossegada, alguns moradores estão preocupados com a confusão que a presença da seleção pode causar na cidade. Mas o clima geral é de alegria pela estadia dos brasileiros.O comércio, por exemplo, espera faturar bastante - a bandeira brasileira está em todas as vitrines de lojas e restaurantes. Além disso, a cidade vai organizar um festival cultural numa de suas praças centrais - o palco e as arquibancadas ainda estavam sendo montados nesta sexta-feira. O German-Brazilian Festival vai acontecer de 5 a 16 de junho, justamente o período em que a seleção ficará em Königstein - depois, o time vai para o Castelo Lerbach, na região de Colônia. A programação inclui shows de música brasileira, apresentações de samba e capoeira. A festa para receber os brasileiros já está armada. Königstein sabe que sua rotina vai mudar com a chegada do furacão que é a seleção de Parreira. Mas está ansiosa e feliz por isso. Últimos preparativos Em Frankfurt, o Waldstadion recebe os retoques finais para poder sediar 5 jogos da Copa do Mundo. Ainda há muita gente trabalhando para deixar tudo pronto para o dia 10 de junho, quando Inglaterra e Paraguai fazem a primeira partida no local.São guindastes levando equipamentos para todos os lados, faxineiros limpando as cadeiras nas arquibancadas, funcionários arrumando as instalações de imprensa e até mesmo pintando algumas paredes. Dentro de campo, os gols ainda não foram colocados no lugar e as linhas não foram pintadas, mas o gramado do estádio está perfeito - inclusive, é proibido pisar nele.O estádio de Frankfurt enfrentou problemas na Copa das Confederações, em 2005, quando a cobertura móvel do gramado não suportou a forte chuva e rasgou. Mas os organizadores garantem que o problema foi solucionado. Agora, faltam só os retoques finais, que já estão sendo feitos com todo cuidado e dedicação dos alemães.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.