Yoan Valat/EFE
Yoan Valat/EFE

Koscielny diz que deixará de defender seleção francesa após a Copa

'Será o momento certo para abrir terreno para jogadores jovens que estão pedindo espaço', afirma zagueiro de 32 anos

Estadão Conteúdo

07 Novembro 2017 | 16h10

Às vésperas do amistoso diante de País de Gales, o zagueiro Laurent Koscielny aproveitou a terça-feira para anunciar que não vestirá mais as cores da seleção francesa após a Copa do Mundo do ano que vem. Aos 32 anos, o jogador do Arsenal garantiu que deixará de defender o país depois da participação na Rússia.

+ Deschamps volta a convocar Martial e Fekir para a seleção francesa

"Há um fim para tudo. Depois da Copa do Mundo, eu estarei beirando os 33 anos. Será o momento certo para abrir terreno para jogadores jovens que estão pedindo espaço. Eu tenho mais seis meses com a seleção francesa para aproveitar e juntar o máximo possível de boas memórias", declarou.

Koscielny tem 49 jogos com a camisa da seleção francesa e defende as cores do país desde 2011. Se for à Copa da Rússia, disputará seu segundo Mundial, já que esteve no Brasil em 2014. E a idade foi fator fundamental na sua decisão. O próprio zagueiro considerou que jovens jogadores estão surgindo para tomar conta da posição.

"Eu sinto que isso força. Eles vão ter espaço em breve. Estou ficando um pouco mais velho, aos 32 anos. Eles estão na casa dos 20. Eles estão na fila, é normal. Há alguns veteranos que resistem, somos cinco ou seis que estamos juntos, que temos até gostos musicais diferente dos jovens. Tentamos nos adaptar. Mas não somos velhos bobos", disse.

A ida de Koscielny à Rússia dependerá da convocação do técnico Didier Deschamps. O zagueiro, no entanto, está garantido nos próximos dois amistosos da seleção: contra País de Gales, nesta sexta, em Paris, e Alemanha, terça-feira que vem, em Colônia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.