Juan Medina/Reuters
Juan Medina/Reuters

Kroos critica novos torneios da Fifa e da Uefa: 'criados para sugar tudo dos jogadores'

Meia do Real Madrid ainda defende campeonatos nacionais em vez da ideia de uma Superliga entre os principais times europeus

Redação, Estadão Conteúdo

11 de novembro de 2020 | 18h02

O meia alemão Toni Kroos, do Real Madrid, fez uma crítica contundente às novas competições criadas pela Fifa e pela Uefa, como a Liga das Nações ou o novo Mundial de Clubes. No podcast que faz com o irmão Felix, o Einfach mal Luppen, jogador do Eintracht Braunschweig, o meiocampista afirmou que se visa demais o dinheiro e esquece-se da questão física dos jogadores.

"Está claro com a invenção dessas novas competições que somos apenas marionetes da Fifa e da Uefa. Novas competições são concebidas, como a Liga das Nações ou a expansão do Mundial de Clubes, para maximizar o lucro e, ao fazer isso, estão simplesmente forçando os jogadores a novos limites físicos", reclamou Kroos.

"Essas competições são criadas para fisicamente sugar tudo de cada jogador e o máximo de dinheiro possível", criticou.

O meia ainda defendeu as ligas nacionais, como LaLiga ou a Premier League, em detrimento da ideia de uma Superliga Europeia, ideia encampada recentemente por clubes como Liverpool, Manchester United e Barcelona. "Quando certas coisas funcionam bem, é uma boa ideia deixá-las como elas são", começou.

"De um ponto de vista esportivo, sem dúvida seria interessante porque só haveria partidas de alto nível. Mas a brecha entre os clubes grandes e pequenos se ampliará ainda mais. Nem sempre tudo tem que ser mais, mais rápido, mais e mais dinheiro", completou.

O alemão ainda criticou comemorações como a de Aubameyang, que colocou a máscara do herói da Marvel Pantera Negra algumas vezes para celebrar os gols, ou dancinhas. No ponto de vista dele, são besteiras, e ele não comemorar dessas formas não quer dizer que esteja menos feliz, apenas que demonstra menos a felicidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.