Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

Lalau viraliza no TikTok mostrando habilidade no futebol e nega rivalidade com 'Luva de Pedreiro'

Trabalhador rural no Rio Grande do Norte, Leonardo Quirino soma mais de 300 mil seguidores nas rede sociais

Toni Assis, especial para o Estadão

08 de maio de 2022 | 05h00

Ele tem 42 anos, atende pelo nome de Leonardo Quirino e é avesso à tecnologia. Para manusear um celular e conversar com a reportagem do Estadão por meio de uma chamada de vídeo, Lalau, como é chamado, precisou da ajuda do amigo Fagner Senna. Casado e pai de dois filhos, ele também virou protagonista das redes sociais.

Lalau divide seu tempo entre o trabalho de cortar castanha de caju na cidade de Serra do Mel, interior do Rio Grande do Norte, e o futebol no campo próximo à rua onde mora. A casa de quatro cômodos em que vive com a família ainda não tem televisão. E a geladeira, “já surrada”, é artigo de luxo na rua.

A renda mensal que gira em torno de R$ 1.200 (juntando o salário dele e o da mulher) reforça o perfil moldado na simplicidade.

Lalau se impôs um novo desafio depois dos 40 e numa área que não domina, a tecnologia. E começa a entender o contraste da nova realidade, onde fãs e seguidores surgem de forma acelerada nas suas redes sociais. Fagner, responsável por conectá-lo nesse mundo virtual, o orienta e assessora à frente das câmeras. Sempre por perto, acompanha com orgulho a escalada de sucesso do amigo. Segundo ele, no Tik Tok os seguidores de Lalau já ultrapassaram a casa de 300 mil. No Instagram, são perto de 30 mil. São vídeos de futebol e outras habilidades.

“O Lalau tem uma história de vida interessante. Nunca jogou profissionalmente, mas era muito bom de bola. Todos os times corriam atrás dele na região”, disse o amigo Fagner.

GOLS POR TIJOLO

De origem humilde, Lalau sempre teve fama de craque. Tal prestígio lo levou a conquistar, de uma forma inusitada, o seu bem mais precioso: a casa onde mora. “Eu jogava bola e pedia em troca um milhar de tijolos. Foi assim que levantei minha casa. Teve outro torneio em que pedi madeiramento. Depois, material de acabamento. E assim foi”, conta o amador que gosta de atuar como centroavante.

O carisma e o bom relacionamento com os vizinhos renderam mais benesses na hora de tocar a obra. “Não sou pedreiro nem tenho nenhuma noção do ofício. As pessoas vieram, fizeram um mutirão e ajudaram a fazer a casinha”, disse.

A ideia de lançar uma marca para ajudar a fidelizar o personagem nas redes acabou sendo uma criação coletiva. Nasceu a “Tropa do Lalau FC”.

Um pouco assustado pela popularidade que vem ganhando com seus vídeos curtos com as pessoas famosas, Lalau disse estar se divertindo. “Estou surpreso porque sou uma pessoa do interior, uma pessoa pobre. Mas, espiritualmente, sou rico e feliz. O que percebo é que as pessoas ficam felizes quando olham os meus vídeos. Os amigos que moram aqui gostam.”

Na esteira do sucesso do baiano Iran Ferreira, o Luva de Pedreiro, Lalau garante não querer criar nenhuma rivalidade. Em um de seus vídeos, em que responde a perguntas de seguidores, ele descarta fazer qualquer tipo de desafio, mas deixa no ar a possibilidade de jogar uma partida ao lado do personagem já famoso pelo bordão “Receba!” nos vídeos.

A receita que lançou Luva de Pedreiro aos holofotes é a mesma de Lalau. Pessoa simples que mostra alguma habilidade e cai no gosto popular em vídeos curtos. Em um campinho de várzea, Lalau escolhe os colaboradores e dá o seu recado. Numa das gravações, faz uma espécie de tutorial e bate uma falta na entrada da área com o calcanhar. Na primeira tentativa, o tiro sai errado e o goleiro defende. Na segunda, a bola encobre a barreira e vai no ângulo, sem chance para o goleiro. Obra-prima que craques como Ronaldinho assinariam.

Ele também se exibe nos vídeos pegando de primeira os cruzamentos da lateral do campo, mostrando impressionante poder de finalização. As peripécias não param por aí. Como um showman, Lalau mostra habilidade para pegar diretamente com a boca os cajus arremessados de longa distância pelos amigos.

A repercussão de seus vídeos chamaram a atenção de astros do futebol. Richarlison, do Everton e da seleção brasileira, é um dos seguidores da “Tropa do Lalau”.

Torcedor do Flamengo, e fã de Gabigol, Lalau lamentou a venda de Michael. “Gostava muito do seu estilo de jogo em que o marcador fica perdido”. Pai de Kelson e Karter, revela um sonho. “Gostaria de conhecer o Zico. Era fantástico. Sou Flamengo por causa dele. O Richarlison é uma pessoa com quem também gostaria de falar.”

Tudo o que sabemos sobre:
futebolUma Boa HistóriaTikTok

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.