Stringer / Reuters
Stringer / Reuters

Lanús chega a Porto Alegre com meta definida: segurar o Grêmio

Equipe argentina quer levar um bom resultado no primeiro jogo da final da Libertadores para decidir em casa

Estadão Conteúdo

20 Novembro 2017 | 17h14

A delegação do Lanús desembarcou nesta segunda-feira em Porto Alegre para o momento mais importante da história do clube: sua primeira decisão de Libertadores. Na quarta-feira, inicia esta final contra o Grêmio na Arena, e já tem uma meta definida. De acordo com o ídolo José Sand, atacante de 37 anos, o objetivo na ida será impedir gols do adversário.

+ Apesar de derrota, substituto de Renato Gaúcho faz elogios aos reservas

"Será muito importante manter o placar deles zerado. Eles são uma equipe muito regular, que joga muito bem e perdeu apenas uma partida em casa (para o Barcelona-EQU, na semifinal). Mas vamos ver a partir do primeiro minuto como eles se comportam. E vamos tentar fazer o que o técnico nos diz", projetou o centroavante.

Sand está em sua segunda passagem pelo Lanús e participou dos dois títulos nacionais da história do clube, mas não da conquista da Copa Sul-Americana de 2013. Agora, terá a chance de conquistar seu primeiro troféu continental da carreira, e logo o mais importante pelo time que o consagrou.

"É uma situação muito histórica para a gente, para o clube. A primeira final (de Libertadores). Mas estamos bem, tranquilos. Estamos fazendo uma Libertadores muito interessante, muito bem com nosso jogo", avaliou. "Passa um filme pela cabeça, penso muitas coisas. Vivo um momento muito bom, podemos trazer algo muito bom para nós e para o clube."

Apesar da boa fase, o próprio Sand admitiu que não esperava disputar sua primeira final de Libertadores aos 37 anos. "Não imaginava jogar a final da Libertadores. Obviamente, imaginava o melhor quando voltei, mas jogar uma final era muito difícil. Mas, bom, temos uma equipe muito competitiva, que sabe o que pode fazer. E graças a deus, buscamos a final assim."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.