Fabiano Arccosi
Fabiano Arccosi

Laor põe em dúvida desempenho de Neymar no Mundial de Clubes

Ex-presidente lembra de venda do craque para o Barcelona, ainda no início de 2011; jogador teve atuação apagada em final

VANDERSON PIMENTEL, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2014 | 17h53

A divulgação de documentos que comprovam que o pai de Neymar havia vendido o filho ao Barcelona no início de 2011 causam uma mistura de sentimentos em Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, presidente do clube à época. O contrato, que já havia sido revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo no início de 2014, voltou a ser comentado nesta quarta-feira, deixando Laor (como é conhecido) com uma pulga atrás da orelha sobre o desempenho do jogador na final do Mundial de Clubes de 2011, quando o time espanhol goleou os brasileiros por 4 a 2.

Para o dirigente, a divulgação do documento transparece como agiu cada parte do negócio. "É um alivio de um lado, e a confirmação do meu desapontamento do caráter de uma pessoa que fala uma coisa e faz outra. Perguntei muitas vezes se ele tinha assumido algum compromisso com o Barcelona e em todas as vezes negando em absoluto, mas o interesse monetário falou mais alto", lamentou Laor.

O ex-presidente do Santos, que renunciou no início do ano, por conta de problemas de saúde, disse que Neymar pai não tinha autorização para vender o jogador. "No final de uma reunião, ele (Neymar pai) disse que precisaria que eu desse a ele uma carta declarando que ele poderia conversar com qualquer clube no mundo. Mas essa carta não tem nenhum comprometimento jurídico, não é um contrato."

Laor levantou a hipótese de Neymar ter jogado uma final de Mundial longe da concentração ideal. "Eu não posso cometer a leviandade de cometer acusações sem estar convicto. O físico é essencial, mas a psique é muito mais. Mas eu me pergunto como é que estaria a cabeça de vocês depois de receber um cheque alto de 10 milhões de euros? Eu imagino que do ponto psicológico, de alguma maneira, isso deve ter afetado;"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.