Laporta confirma que Barça recorrerá ao TAS sobre 'caso Messi'

Fifa obrigou os clubes a liberarem seus jogadores com menos de 23 anos para os Jogos Olímpicos de Pequim

EFE

30 de julho de 2008 | 12h47

O presidente do Barcelona, Joan Laporta, confirmou nesta quarta-feira, que o Barcelona recorrerá ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS, em francês) para não ter que liberar o atacante argentino Lionel Messi para a seleção de seu país que disputará os Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim. Veja também: Fifa manda clubes liberarem atletas sub-23 para as Olimpíadas Messi insiste em ir aos Jogos sem esperar recurso no TAS Fifa obriga Barcelona a liberar Messi para os Jogos Horas após a Fifa decidir que o clube estava obrigado a ceder o jogador, o Barcelona deverá apresentar seu recurso ao TAS, no qual alegará que os Jogos Olímpicos não fazem parte do calendário da Fifa, disse Laporta em Florença (Itália), onde a equipe se prepara para um amistoso de pré-temporada. Os espanhóis também questionam os argumentos da Fifa sobre o respeito ao espírito olímpico. Segundo o presidente da equipe catalã, o clube se reunirá com Messi "para tomar a decisão que mais convier às duas partes". "Nossa atuação é muito respeitável do âmbito esportivo e se a resolução do TAS for favorável nossas reivindicações terão que ser aceitas", acrescentou o dirigente, que, no entanto, admitiu que o argentino não deverá viajar com o resto do elenco para os Estados Unidos, última parada da pré-temporada. "O normal é que agora ele jogará pela Argentina, mas se o TAS decidir em favor do clube Messi terá que voltar", concluiu o dirigente. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.