Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Larghi admite falta de postura ofensiva do Atlético-MG em derrota na Argentina

Técnico vê equipe perder por 1 a 0 para o San Lorenzo no jogo de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana

Estadão Conteúdo

12 Abril 2018 | 10h02

Depois de ver o seu time ser derrotado por 1 a 0 pelo San Lorenzo, nesta quarta-feira à noite, em Buenos Aires, no confronto de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana, o técnico Thiago Larghi admitiu que faltou uma postura mais ofensiva ao Atlético Mineiro para poder voltar para a casa com um resultado melhor.

+ Atlético-MG tem atuação ruim e perde para o San Lorenzo na Sul-Americana

+ Fluminense arranca no fim, faz 3 a 0 no Nacional Potosí e encaminha vaga

+ Mais notícias da Copa Sul-Americana

A equipe ficou muito passiva neste aspecto mesmo depois de ter sofrido um gol aos 33 minutos da etapa inicial da partida realizada na Argentina. "Chegando ao terço de ataque, tem que entrar na área. A gente estava circulando a bola, mas faltou ser mais incisivo ali na frente", afirmou o comandante, em entrevista coletiva, na qual destacou que faltou arriscar mais no setor ofensivo.

"Faltou um pouco de profundidade, de atacar, ser mais vertical no primeiro tempo. A gente estava com a posse da bola, mas não estava agredindo, chegando ao terço de ataque e conseguindo finalizar", analisou o treinador, que depois reforçou: "No segundo tempo, tivemos umas duas chances de gol e a gente precisava ter um pouco mais de profundidade, de atacar mais um pouco mais o adversário, ser mais agudo".

Com a derrota, o Atlético-MG precisará buscar uma vitória por pelo menos dois gols de diferença na partida de volta deste mata-mata, marcada para o dia 8 de maio, às 21h45, no estádio Independência, em Belo Horizonte, para se classificar no tempo normal ao estágio seguinte da Sul-Americana.

E o goleiro Victor exibiu confiança de que o time atleticano poderá fazer valer a força do fator campo para avançar na competição continental, sendo que ele também reconheceu que faltou maior volume ofensivo aos atleticanos em Buenos Aires.

"A equipe soube fechar os espaços, dentro da proposta que a gente veio para campo. Talvez, pecamos um pouco ali no terço final do campo, para achar um passe em melhor colocação. Tivemos algumas situações de contra-ataque em que poderíamos ter êxito, mas a equipe jogou de igual para igual. É um resultado totalmente reversível, que temos condições de buscar em Belo Horizonte", projetou o ídolo alvinegro.

O atacante Luan, que foi substituído por Tomás Andrade no decorrer da partida desta quarta-feira, foi outro a mostrar otimismo na classificação do Atlético. "A gente sabe que é difícil jogar na Argentina, da mesma forma que eles (argentinos) têm de sentir quando jogarem no Brasil. Precisamos mostrar novamente nossa força. É um placar que dá para reverter e, agora, diante da Massa, no Independência, é a gente fazer um 'caldeirão' e reverter esse resultado na Sul-Americana", disse o jogador.

Após a derrota sofrida na Sul-Americana, o Atlético agora iniciará a sua preparação para estrear no Campeonato Brasileiro, no qual abrirá campanha neste domingo, contra o Vasco, às 16 horas, em São Januário, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.