Pedro Souza/Atlético
Pedro Souza/Atlético

Larghi aponta falta de comprometimento do Atlético-MG em derrota para Chapecoense

'Não quero citar este ou aquele, mas num todo, nosso time foi muito mal', lamentou o treinador da equipe mineira

Estadão Conteúdo

06 Outubro 2018 | 19h46

O técnico Thiago Larghi enxergou jogadores sem comprometimento na atuação do Atlético-MG na derrota para a Chapecoense por 1 a 0, neste sábado, pela 28.ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena Condá. Visivelmente irritado, mas sem citar nomes, ele criticou a falta de intensidade do time que precisava vencer para encostar nos primeiros colocados da tabela.

"Não quero citar este ou aquele, mas num todo, nosso time foi muito mal, bem abaixo do que apresentou no último jogo, quando goleamos o Sport (5 a 2). Faltou entrega e intensidade, num jogo que nós tínhamos planejado vencer" criticou.

Larghi foi além, buscando na irregularidade do time, o motivo pelo qual ocupa a sexta posição, com 45 pontos, bem atrás dos líderes. "É por não vencermos um jogo como este que nós não estamos na parte de cima da tabela e brigando pelo título".

Além disso, cobrou mais coragem de seus jogadores, principalmente na parte ofensiva. "Hoje faltou muita coisa, como coragem, agressividade e ambição para buscar o gol. Faltou ser incisivo e ambicioso", apontou.

O técnico evitou justificar o fraco desempenho do time por conta dos desfalques: o zagueiro Iago Maidana, suspenso, e o meia Cazares e o atacante Ricardo Oliveira, lesionados.

O capitão Leonardo Silva lamentou o gol sofrido aos 48 minutos do segundo tempo. Após o chute de Doffo, a bola desviou em seu corpo, ganhou altura e encobriu o goleiro Victor. "Foi um lance esquisito. Ninguém esperava e aconteceu o gol", resumiu o zagueiro. Ele completou seu 350.ª jogo pelo Atlético-MG, mas não teve motivo para comemorar.

O time volta a campo no próximo sábado, contra o América-MG, no Independência. O adversário também perdeu nesta tarde - foi goleado pelo Atlético-PR por 4 a 0 na Arena da Baixada.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.