Fabrice Coffrini/AFP
Fabrice Coffrini/AFP

Lateral-direito Danilo está perto de trocar o Porto pelo Real Madrid

Imprensa espanhola garante que negociação está bem avançada

O Estado de S. Paulo

04 Março 2015 | 12h46

 Um dos jogadores mais cobiçados pelos grandes do futebol europeu, o lateral-direito Danilo, destaque do Porto e da seleção brasileira, está com um pé no Real Madrid. Pelo menos é o que garante os jornais esportivos da Espanha, Marca e Ás. Segundo os espanhóis, a negociação seria fechada agora e o jogador desembarcaria no clube merengue na janela de transferências do meio do ano.

O Real Madrid corre com a negociação para driblar o rival Barcelona e também o Manchester United, outros interessados. Carente na posição, o clube de Cristiano Ronaldo estaria disposto a pagar até 30 milhões de euros (R$ 99 milhões) de acordo com o Ás. No Marca, o valor que seria desembolsado baixa um pouco: 25 milhões de euros (R$ 82,5 milhões).

Jorge Nuno Pinto, presidente do Porto, gostaria de negociar seu jogador por 40 milhões de euros (R$ 132 milhões) e garante que ainda não recebeu propostas oficiais. O dirigente, contudo, garante que não ficará com atletas insatisfeitos em seu grupo.

Com contrato até junho de 2016, Danilo não aceitou a proposta de renovação do Porto e pressiona para ser negociado. Uma das artimanhas de seus agentes é a de que caso ele não seja vendido agora, sairia de graça no próximo ano. Os empresários, inclusive, já foram para Manchester e agora estariam em Madri fazendo um leilão pelo lateral.

Revelado no América-MG, Danilo jogou no Santos e despontou no Porto, onde conseguiu cativar o técnico Dunga e ser chamado para a seleção brasileira. Aos 23 anos, ele deu preferência ao Real Madrid para ficar em evidência e cada vez mais se firmar com a camisa amarelinha da seleção.

Apesar de a imprensa espanhola garantir que o Real Madrid deve ser o destino, o Manchester United está firme na briga e estaria disposto a pagar a multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 165 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.