Lateral Éder é o primeiro a ir embora do São Paulo

Jogador não vinha sendo aproveitado e volta para o Noroeste; Wágner Diniz chega para assinar por três anos

Marcius Azevedo - Jornal da Tarde,

30 de setembro de 2008 | 11h10

A diretoria não esperou o fim do Brasileiro para anunciar dispensas e confirmou nessa segunda-feira, que o lateral-direito Éder está de saída. Segundo explicou o diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes, foi acertada uma rescisão amigável.   Veja também: André Dias agradece apoio e comemora sua melhor fase Muricy comemora retorno de Miranda ao São Paulo  Brasileirão Série A - Classificação Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão   "Fizemos uma avaliação e vimos que o jogador não seria mais aproveitado. Então achamos por bem liberá-lo antes do fim do empréstimo até para ele acertar sua vida", afirmou o dirigente, que negou que a dispensa tenha sido por motivo disciplinar.   Uma informação surgida ontem dava conta de que Éder e mais três jogadores, entre eles o lateral-esquerdo Júnior, teriam se apresentado após o horário determinado por Muricy para o início da concentração para o jogo contra o Cruzeiro, na sexta à noite.   Por esse motivo, o lateral teria sido dispensando e Júnior multado em 10% do salário. "Tem muita fofoca no futebol. Isso não aconteceu", afirmou João Paulo. A história também foi negada pelo jogador, que agora volta ao Noroeste, com quem tem contrato até fevereiro de 2011.   Se Éder saiu, Wagner Diniz está chegando. O lateral do Vasco assinará por três anos com o São Paulo. "Só quero falar disso em janeiro", disse Juvenal, rindo.   LEI DE INCENTIVO Na segunda, no Morumbi, o presidente assinou com o Ministro dos Esportes, Orlando Silva, o contrato para se beneficiar da Lei de Incentivo. O Tricolor receberá R$ 13,8 milhões para reformas no CT das categorias de base, em Cotia. As obras serão fiscalizadas pela Caixa Econômica Federal e contaram com dinheiro da iniciativa privada. As empresas que investem no esporte têm direto a 1% de dedução no imposto devido.   O São Paulo usará o dinheiro em três projetos. R$ 2.783.442,06 serão destinados ao Centro de Reabilitação Esportiva, Fisioterápica e Fisiológica. Outros R$ 6.695.874,38 para um prédio que receberá 148 atletas e mais R$ 4.389.177,07 para construção de uma arquibancada para receber jogos da base.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.