Divulgação
Divulgação

Lateral William Matheus festeja nova chance na equipe do Palmeiras

Jogador deu duas assistências para gol no jogo de sábado, contra o Goiás

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

12 de maio de 2014 | 17h13

SÃO PAULO - Enquanto Gilson Kleina era técnico do Palmeiras, William Matheus foi reserva do contestado Juninho e teve poucas chances. Logo no primeiro jogo após a demissão do treinador, o lateral foi titular e deu duas assistências para gol. Feliz, o jogador comemora a nova oportunidade e evita fazer críticas ao ex-técnico.

"Realmente não tive sequência. Quando joguei, eu volta para o banco e não tinha mais sequência. Mas isso faz parte. O Kleina é um excelente treinador, que me ajudou bastante e agradeço por isso. Agora, espero ter mais chances para agarrar da melhor maneira possível a chance", disse o lateral.

Adotando um discurso bem político, William Matheus disse que entendia o ponto de vista de Kleina. "O Juninho fez um grande campeonato paulista e isso dificultou. Mas agora quero ter sequência e aproveitar as oportunidades."

O responsável pela mudanças foi Alberto Valentim, técnico interino enquanto um novo treinador é contratado. William Matheus agradece a oportunidade, mas sabe que em pouco tempo terá um comandante diferente. "O Alberto é um cara muito capacitado, mas a gente sabe que alguém vai chegar para o lugar dele. Lamentamos pela saída do Kleina, que é um grande treinador e vamos receber muito bem o novo treinador, seja ele quem for", garantiu o lateral.

O elenco do Palmeiras se reapresentou na tarde desta segunda-feira na Academia de Futebol e, na terça-feira, Alberto Valentim define a equipe que enfrenta o Sampaio Corrêa, quarta, no Pacaembu, pela volta da segunda fase da Copa do Brasil. No primeiro jogo, a equipe do Maranhão venceu de virada por 2 a 1, em jogo que culminou na demissão de Kleina.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.