Lazio procura saída para a crise

A Lazio corre contra o tempo, para não perder o elenco. Os jogadores cansaram de calote e, no início da semana, entraram na Justiça italiana com pedido coletivo de passe livre, porque não recebem salários desde junho. As citações começam a chegar e o clube romano tem até a metade do mês para resolver a situação.O primeiro atleta com direito a receber é o goleiro Angelo Peruzzi. Como se antecipou aos demais, em ação individual, seu caso deve ser acertado até o dia 6. Os dirigentes garantem que haverá dinheiro para deixar a casa em ordem. A estimativa inicial é a de que há necessidade de arranjar logo o equivalente a US$ 15 milhões para saldar uma parte do débito.Para ter crédito, a Lazio precisa trocar de comando - pelo menos na teoria. Os bancos exigiram a saída do industrial Sergio Cragnotti da presidência, que concordou em passar o bastão. A ?renúncia? do dono do time deve ocorrer até sexta-feira e o mais cotado para substituí-lo é Rocco Sabelli, executivo que não tem afinidade com o esporte, mas já liderou a Telecom, um dos maiores grupos de telecomunicações da Europa.Sabelli será o administrador principal de uma comissão mista, formada por dirigentes e representantes dos credores, numa espécie de intervenção branca. A situação do clube é muito grave e se chegou a falar em falência, como ocorreu com a Fiorentina três meses atrás. A falta de capital fez com que a inscrição no campeonato de 2002-03 fosse suspenso por dez dias, em agosto. A Liga, que representa os clubes, só voltou atrás quando houve aumento de capital acionário.O descumprimento de compromissos trabalhistas com jogadores, treinadores e funcionários menos graduados têm sido rotina. O sinal de alarme foi dado pelo zagueiro holandês Jaap Stam, que no início do mês exigiu pagamento imediato de prêmios, luvas e salários sob a ameaça de ir embora. Depois, veio Peruzzi e agora o restante do elenco. Nesta (Milan) e Crespo (Inter) também acionaram seu ex-clube, mas por meio do Colégio Arbitral da Federação Italiana de Futebol.Os jogadores evitam falar de situação delicada. A resposta, dizem, está em campo, já que a Lazio é terceira colocada na Série A. "Nestas horas, muita gente só quer saber quanto ganha um jogador", diz o capitão Simeone. "Mas receber salários é questão de direito de qualquer um."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.