LDU tenta manter supremacia sul-americana no Mundial

Time equatoriano encara o mexicano Pachuca às 8h30 desta quarta-feira; vencedor garante vaga na decisão

Agência Estado,

16 de dezembro de 2008 | 17h46

LDU e Pachuca se enfrentam nesta quarta-feira, às 8h30 (de Brasília), definindo a primeira vaga na final do Mundial de Clubes - acompanhe pelo estadao.com.br. E a equipe equatoriana, que derrotou o Fluminense na final da Libertadores, leva nas costas o peso de evitar que pela primeira vez a competição fique sem uma equipe sul-americana na decisão.   Veja também:Tabela e calendário do Mundial da Fifa Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão   Nas quatro edições do Mundial realizadas sob a chancela da Fifa, três foram vencidas por equipes da América do sul, e apenas a do ano passado por um europeu, o Milan, em cima do Boca Juniors. Em 2000, no Brasil, o continente monopolizou a final, com vitória do Corinthians sobre o Vasco.   "Temos a obrigação e o dever de fazer uma boa participação, e de dar uma boa imagem tanto para nós como para os torcedores de nosso país", disse o meia Patricio Urrutia, um dos destaques da equipe. "Temos a obrigação de representar bem o Equador".   Preocupado, ele não quer pensar numa possível decisão contra o Manchester United, favorito contra o Gamba Osaka na segunda semifinal, que será na quinta-feira. "Eu creio que viemos com um cartel que diz 'campeão da América' e temos que defender isso. Depois, vamos sonhar com a final e pensar se o Manchester é melhor, mas vamos passo a passo."   O técnico Edgardo Bauza, que é argentino, já avisou que quer ver a equipe jogando com a mesma agressividade que apresentou na conquista da Libertadores, quando surpreendeu o Fluminense - que chegava como favorito, depois de eliminar os bichos-papões São Paulo e Boca Juniores. "Não queremos nos trair, vamos fazer o que habitualmente fazemos, defender esse estilo. É um jogo e tudo pode acontecer, mas estamos convencidos de que podemos vencer", afirmou.  LDU Cevallos; Campos, Nolberto Araujo, Calle e Calderón; Urrutia, William Araujo, Bolaños e Reasco; Manso e Bieler Técnico: Edgardo Bauza  Pachuca Calero; Aguilar, López, Manzur e Rojas; Torres, Correa, Gimenez e Rodríguez; Alvarez e Marioni Técnico: Enrique Meza Árbitro: Alberto Undiano (ESP)Estádio: Nacional, em Tóquio Horário: 8h30TV: SporTV e ESPN Brasil   O treinador disse que a LDU está consciente da importância do jogo de quarta-feira e prometeu não decepcionar os torcedores equatorianos. "Nós levava a bandeira do Equador nos braços, enquanto ele está lá todo mundo vai estar em dívida, estamos cientes do que se joga, mas vamos manter o espírito que tentamos forjar nessa equipe".   Do lado do Pachuca, o confiante técnico Enrique Meza comandou uma série de cobranças de pênalti, que podem decidir a vaga na decisão, além de fazer um treino de bolas paradas mesmo debaixo de chuva. "Teremos que estar prontos para o que vier. Esperamos um grande partida contra a LDU, eles são campeões da Libertadores e nunca são demais estes pequenos detalhes como os pênaltis", afirmou o atacante argentino Damián Alvarez. "Sempre temos que praticar, com os pênaltis também se ganha campeonatos".   O atacante argentino Christian Gimenez, que marcou um dos gols do Pachuca na vitória por 4 a 2 sobre o Al Ahly, na primeira fase, recitou quase de cabeça a equipe da LDU, para mostrar que está consciente dos ricos que sua equipe enfrentará. "Adoro ver futebol de todos os lugares do mundo, e sei que o time de Quito está bem entrosada, é veloz e não podemos deixá-los com a bola nos pés", pregou. O brasileiro Christian, ex-Internacional, está inscrito com a camisa 10 do Pachuca, mas deve ficar novamente no banco de reservas.

Tudo o que sabemos sobre:
Mundial de ClubesFifaPachucaLDU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.