Leandro Castán se submete a operação no cérebro e passa bem

Leandro Castán se submete a operação no cérebro e passa bem

Jogador da Roma teve cavernoma de 3 cm retirado nesta quarta-feira; zagueiro teve problema identificado após jogo em setembro

O Estado de S. Paulo

03 de dezembro de 2014 | 12h08

O drama vivido por Leandro Castán no início desta temporada deu o seu primeiro passo rumo à recuperação. Nesta quarta-feira, o zagueiro da Roma fez operação no cérebro para remover um cavernoma. Após o procedimento, que durou 3h30, o jogador de 28 anos passa bem e continuará o tratamento para voltar aos gramados.

"O cavernoma, que media 3 cm, foi completamente removido. Isto foi confirmado por um exame de ressonância magnética realizado imediatamente após a operação", informou a Roma por meio de comunicado oficial em seu site.

De acordo com a nota, "Castán já acordou e está respirando sem ajuda, e foi informado do resultado de sucesso da operação" A partir de agora, o jogador irá permanecer sob cuidados intensivos durante as próximas 24 horas, antes da realização de novos exames.

Leandro Castán está sem jogar desde o dia 13 de setembro, quando passou mal e teve tonturas durante a partida contra o Empoli, pelo Campeonato Italiano. Depois disso, ele realizou uma bateria de exames médicos, que detectaram o cavernoma, com um pequeno edema e um inchaço temporário na região. A decisão de fazer uma cirurgia foi realizada após ser confirmada a possibilidade de uma hemorragia cerebral.

Depois de passagens por Atlético-MG e Barueri, Leandro Castán ganhou fama quando defendeu o Corinthians, entre 2010 e 2012. Companheiro de Chicão na zaga, teve papel importante na conquista inédita da Libertadores. Depois daquele título, foi vendido por cerca de 5 milhões de euros para a Roma, onde está em sua terceira temporada, quase sempre como titular. O zagueiro também já foi convocado para a seleção brasileira, na época de Mano Menezes e de Luiz Felipe Scolari.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolas romaleandro castan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.