Leandro Damião dedica o primeiro gol no Santos para seu pai

Atacante fez seu 4.º jogo pelo clube e finalmente conseguiu balançar as redes

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

20 de fevereiro de 2014 | 23h05

SANTOS - Leandro Damião finalmente marcou o primeiro gol pelo Santos, a 1 minuto do segundo tempo da vitória por 2 a 1 contra o Atlético Sorocaba, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, em jogo dramático. Desde a estreia contra o Linense até que saísse o gol, o ex-jogador do Internacional atuou 305 minutos e pouco apareceu, em razão da dificuldade que encontrou para se encaixar no ataque de toque de bola e velocidade do time do técnico Oswaldo de Oliveira.

Como já era de se esperar, o gol foi dedicado ao pai, seu Natalino. "Mando o gol para o meu pai, com um beijo para ele e para a minha avó. O importante foi ter vencido", disse Leandro Damião, negando que suas atuações estavam sendo prejudicadas pelo jejum iniciado depois de ter marcado pela última vez na vitória por 2 a 1 do Internacional contra o São Paulo, em outubro do ano passado, pelo Campeonato Brasileiro. "Não. Sou tranquilo e já vivi muito no futebol. Agora o pensamento já está no clássico contra o São Paulo (neste domingo, no Morumbi). Gosto de jogar clássico e vamos em busca da vitória".

Com a entrada de Leandro Damião, o Santos perdeu força ofensiva e passou a facilitar a marcação adversária, depois de ter marcado 10 gols, nas duas vitórias seguidas por 5 a 1 contra Corinthians e Botafogo. Um dos motivos é que, preocupados em ajudar o centroavante a marcar o primeiro gol, os jogadores passavam a bola para ele e deixavam de tentar jogadas em velocidade.

"Depois do primeiro gol, sairão muitos", previu Oswaldo de Oliveira. O técnico acredita que, superada a ansiedade após ter marcado o primeiro gol, Leandro Damião vai se soltar e jogar com naturalidade, voltando a ser o artilheiro dos melhores dias no Internacional. "Damião não fez mais que a obrigação. Seria tudo normalíssimo se não houvesse tanta especulação, conversa. E se o valor que foi gasto na contratação não fosse levado mais em consideração do que valor técnico do jogador".

Oswaldo de Oliveira voltou a elogiar Cícero, autor do gol da vitória aos 45 minutos do segundo tempo, evitando o segundo tropeço seguida do Santos. "Ele é um jogador valorizado pelo que já fez e está confirmando. É um jogador de múltiplas especialidades. Chuta muito bem e cabeceia muito bem", concluiu o técnico santista.

Para o clássico contra o São Paulo, Oswaldo de Oliveira terá a volta de Gustavo Henrique na zaga, saindo Jubal, e de Alan Santos no meio, no lugar de Leandrinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.