JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Leandro deve ser titular do Palmeiras na quarta-feira após gol

Reserva contra o São Caetano, atacante deve começar o jogo contra o Botafogo

Fábio Hecico, Agência Estado

18 de março de 2013 | 09h05

SÃO PAULO - O reserva Leandro foi o único atacante do Palmeiras a fazer gols nos últimos seis jogos - foram dois. E, depois de salvar o time mais uma vez (tinha dado a vitória contra o União Barbarense e agora empatou o jogo diante do São Caetano), o jovem deve ser a grande novidade do técnico Gilson Kleina para o duelo com o Botafogo, na quarta-feira, às 19h30, no Pacaembu, pela 13.ª rodada do Campeonato Paulista.

O treinador está irritado com a seca do setor ofensivo, apesar das oportunidades criadas e promete usar os próximos dois dias para encontrar soluções. Além da entrada de Leandro, ele ainda estuda adiantar Patrick Vieira e estrear o meia Rondinelly.

"Quarta-feira é um jogo importantíssimo e temos de ver o que vamos mudar para voltar as vitórias. Se tivemos um erro contra o São Caetano foi o time não ser finalizador. Serão dois dias para procurarmos melhorar, seja adiantando o Patrick, estreando o Rondinelli ou usando o Tiago Real", afirma Gilson Kleina.

De certo é que Vinicius e Kleber estão pressionados. O primeiro deles não marca faz sete jogos e o companheiro passou em branco nas cinco oportunidades que teve na equipe. Um sairá com certeza e até a dupla pode ser modificada.

Leandro já está de sobreaviso. "O Vinícius é da casa e seu erro parece diferente. Ele precisa de proteção. O Leandro não vem com esse peso, avançou muito e vamos pensar no que é melhor para o Palmeiras agora", discursa o treinador. "Ele já está preparando seu espaço para ser titular. Na verdade, após ter marcado contra o Barbarense, só não permaneceu no time porque veio uma série de jogos pela Libertadores e ele não pode disputar a competição (estava inscrito pelo Grêmio)."

Leandro ainda mantém os pés no chão sobre ser titular. Mesmo empatando o jogo diante do São Caetano, ele saiu chateado por ter desperdiçado outra chance. "Até empatei o jogo, mas, particularmente, não fui feliz em outros lances e vou trabalhar forte para melhorar", diz. Já Vinícius parece conformado em perder a vaga. "Ultimamente a gente só vem tendo esses castigos. Domina o jogo, perde muitas chances e acaba levando gol. Acontece."

MAIS ARMAÇÃO

Kleina também não quer queimar Wesley como armador. Vai fixá-lo como segundo volante e já adiantou que vai procurar alguém para fazer a função no lugar de Valdivia. "Ele faz muita falta, a perda nesse momento é muito grande. O Valdivia estava assumindo a responsabilidade de homem de criação, o nosso cabeça pensante. Ele enxerga onde outros não enxergam, trabalha num setor do campo, sai da marcação... Se for ver, temos jogadores com características de meia-atacante, como Tiago Real ou Patrick, ou Rondinelly, que não foi muito aproveitado no Grêmio, mas pode ter todas as condições aqui", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.