Robson Fernadjes/Estadão
Robson Fernadjes/Estadão

Leão acha estranhas as opções para a vaga de Gilson Kleina

Ex-jogador e treinador do clube não arriscou nome para o cargo no Palmeiras

Denise Bonfim, Agência Estado

13 de maio de 2014 | 14h52

SÃO PAULO - Durante o encontro que reuniu César Maluco, Emerson Leão, Ney e Edu Bala na Allianz Parque, na manhã desta terça-feira, onde este grupo foi homenageado pelo Palmeiras, os ex-jogadores e ídolos do clube analisaram o momento pelo qual passa a equipe, nona colocada no Brasileirão, com apenas seis pontos, e deram suas sugestões para o cargo de treinador do time, aberto após a demissão de Gilson Kleina.

Com passagens pelo clube como jogador e técnico, Emerson Leão preferiu ficar fora da polêmica, e não quis arriscar qual nome deve ser escolhido pela diretoria alviverde. "Não tenho nem opinião nem sabor em opinar. Só acho esquisito as opções que estão aparecendo para a escolha... Talvez tenham que pesquisar no ENEM!", disse, de forma irônica.

Leão, que passou pelo São Caetano em 2012 e atualmente está sem clube, acredita que o nível técnico da equipe precisa ser aprimorado. "A trajetória do ano passado foi boa para a Série B. O nível subiu, e a intenção tem que ser melhorar", completou.

César Maluco, que foi ao evento receber os companheiros da Academia de Futebol, não titubeou quando perguntado sobre quem deveria ser o novo técnico do time. "Técnico? Meu amigo Leão! Tenho que puxar o saco dele. Conhece e tem amor pelo clube", disse.

Jorginho é a primeira opção do tricampeão brasileiro Edu Bala. "Jorginho já jogou aqui, conhece bem o clube, tem uma relação com o Palmeiras. A diretoria tem que trazer para cá quem gosta do time, e ele tem isso". Sobre a fase irregular, disse que é preciso ter calma. "O que está acontecendo é uma renovação. Segunda divisão (do Brasileiro) é uma coisa, elite é outra. Tem que ir devagar", completou.

Para Ney, o que falta para que os resultados apareçam é entrosamento. "As mudanças dos jogadores e as contusões faziam com que o Kleina não desse continuidade no trabalho. Espero que o próximo treinador consiga entrosar bem a equipe, porque jogador, tem". Também ex-jogador do Palmeiras, Dorival Júnior foi apontado por Ney como uma boa possibilidade. "Gosto do Dorival, já esteve no Palmeiras e pode se dar bem. Estão falando do Luxemburgo e do Ney Franco, que são bons técnicos. Para o Luxemburgo pesa mais a experiência, e o Ney fez bons trabalhos por onde passou", arrisca.

Conselheiro, César Maluco quer afastar o fantasma do ano de centenário e rechear 2014 de títulos. "Acho a diretoria do Palmeiras bem razoável, mas não sabe muito bem como contratar. Caímos no Paulista, e agora temos a obrigação de vencer a Copa do Brasil e o Brasileirão", completou.

Apesar dos rumores, a diretoria do Palmeiras não confirma quem deve assumir a equipe. O nome que corre mais forte nos bastidores é o de Wanderley Luxemburgo, que já dirigiu o time em quatro oportunidades em sua carreira (1993, 1996, 2002 e 2008).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.