Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Leão admite futebol burocrático do Corinthians na Paraíba

O Corinthians se deu por satisfeito com os 2 a 0 sobre o Treze, resultado que eliminou a necessidade do jogo da volta na segunda fase da Copa do Brasil. Mas os próprios jogadores admitiram que o time continua apresentando um futebol muito aquém do que a torcida espera."Jogamos o suficiente para eliminar um adversário", disse, lacônico, o técnico Leão. "Jogar bonitinho e perder, para nós, não adianta. A gente estava fora de casa e precisava resolver", concordou o volante Marcelo Mattos, autor do gol que garantiu a vaga nas oitavas-de-final.Magrão também reconheceu as limitações de sua equipe. ?Não somos um time brilhante, esse não é nosso ideal. mas luta e empenho nunca faltará?, observou. ?Buscaremos nossa perfeição e a sorte voltará para nosso lado.?Apesar da falta de criatividade, que impediu com que o time saísse de Campina Grande com um placar mais folgado, Leão enalteceu mais uma vez o futebol do garoto Willian, que substituiu Roger ainda no primeiro tempo e deu mais dinâmica ao meio-de-campo.No entanto, o técnico corintiano demonstra preocupação com o processo de amadurecimento do meia, de 18 anos. "Precisamos ter cuidado com ele. Ele está passando por uma fase de transformação muito rápida. Tem um arranque muito bom mas continua impreciso na hora da finalização da jogada."Leão chegou até a comparar a evolução de Willian à de Robinho no início da carreira. "Me lembro que o Robinho gostava muito mais de driblar do que fazer o gol. Agora ele prefere fazer o gol. O Willian precisa passar pela mesma coisa. Tem que pegar gosto pelo abraço [na comemoração]", filosofou o treinador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.