Leão começa a "abertura" da seleção

A partir desta quinta-feira, Émerson Leão começa a colocar em prática um novo estilo de comando da seleção brasileira, no qual serão ouvidas as opiniões de outros treinadores. Amanhã, ele se reúne com técnicos cariocas e pretende repetir isso no futuro, só que em outros estados. É uma demonstração de que chegou ao fim a era do técnico todo-poderoso e isolado, que caracterizou o período em que Wanderley Luxemburgo esteve dirigindo o time do Brasil.O próprio treinador do Corinthians, quando dirigia a equipe brasileira, disse que gostaria de ouvir os colegas, mas nunca levou a idéia adiante. Pelo contrário, Luxemburgo ficou irritado quando recebeu sugestões ou críticas de outros técnicos.Com o fracasso da "Era Luxemburgo", o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, decidiu que o seu substituto não concentraria todos os poderes da seleção. A primeira medida foi a contratação do coordenador Antônio Lopes. Foi justamente ele que organizou o encontro com os treinadores. Embora sempre lembre que tem "personalidade", Leão parece ter se adaptado ao sistema.A reunião desta quinta-feira, no Hotel Meridién, no Rio, contará com a presença dos treinadores da seleção nas últimas três Copas do Mundo: Sebastião Lazaroni, Carlos Alberto Parreira e Zagallo. Ainda estarão presentes Valdir Espinosa, do Fluminense, e Joel Santana, do Vasco, e Nelsinho Rosa, que já dirigiu diversos clubes grandes do País.Aos treinadores que estão trabalhando nos clubes, a comissão técnica da seleção ainda vai pedir informações sobre o comportamento de jogadores que possam ser convocados. O objetivo é evitar futuros problemas disciplinares.Viagem - A CBF divulgou, nesta quarta-feira, a programação da seleção brasileira para os amistosos contra o Estados Unidos, no dia 3 de março, e com o México, no dia 7. Os jogadores se apresentam na quarta-feira (dia 28), às 21 horas, no Aeroporto Internacional de Garulhos, de onde seguem em vôo de carreira para Los Angeles. No dia 1º, a equipe realiza o seu primeiro treino nos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.