Leão continua; só não sabe até quando

"O Santos não tem hoje outro treinador a não ser Emerson Leão", disse nesta segunda-feira o presidente Marcelo Teixeira, tentando apagar a crise armada na Vila Belmiro e criar assim um ambiente melhor para o time, que está no Equador para enfrentar quarta-feira a Liga Deportiva Universtária (LDU), pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores da América. Nesta segunda-feira, o clube apresentou Deivid como novo reforço para a Libertadores e para o Brasileiro, ao mesmo tempo em que não conseguiu fechar novas contratações, como a de Ricardinho, no prazo final das inscrições na competição latino-americana, que terminou nesta segunda às 18 horas.Marcelo Teixeira revelou que o técnico Leão colocou o cargo à disposição logo depois da derrota para o Cruzeiro por 3 a 1. "Não dei prosseguimento ao assunto e passamos a discutir outras coisas, como contratação e a viagem". Segundo comentou o dirigente, Emerson Leão continua no cargo. "Vou fazer o possível para que esse trabalho permaneça", disse ele, acrescentando que "não será num período de turbulência como esse que eu tomaria uma decisão contrária à continuidade desse trabalho".Em sua análise, a marca que Leão vem alcançando no Santos é inédita."Não só pelas vitórias que vem conseguindo, que é uma característica de sua passagem pelo clube, mas pelo período que ele dirige o time". Se Marcelo Teixeira disse que Leão continuava como técnico do Santos, não garantiu até quando: "não posso assegurar uma condição que depende de uma série de circunstâncias, entre as quais a própria vontade do treinador".Teixeira considera o episódio da dispensa do goleiro Doni coisa do passado e disse que "se o assunto não tivesse sido esclarecido naquela ocasião, a medida (dispensa) já teria sido tomada ali, pois não ficamos satisfeitos com as declarações dadas pelo treinador. Ele entendia que algumas informações partiam da própria diretoria no intuito de demiti-lo e em nenhum momento chegamos a pensar nesse aspecto". Para o presidente santista, tudo ficou esclarecido e não há mais motivo para discutir isso.Para o dirigente, o resultado de domingo foi injusto para seu time."O Santos merecia vencer e o resultado não refletiu o que o time mostrou na partida". Destacou que o elenco de 25 jogadores está reduzido para 18. "Então, é preciso analisar tudo com muito critério para não adotar uma medida que venha a ser injusta com um único profissional".FIRMEZA? Marcelo Teixeira falou pela primeira vez sobre a situação do técnico num momento em que o Santos viajou para o Equador abatido pela derrota por 3 a 1 para o Cruzeiro e necessita de um bom resultado contra a LDU em Quito. A partida de volta será disputada quarta-feira que vem na Vila Belmiro.Apesar de Teixeira achar que o clube tem condições de superar a crise, os fatos mostram uma situação diferente, com a crescente pressão para a demissão do treinador feita por pessoas muito próximas ao presidente santista. O diálogo do técnico com outros dirigentes já não é o mesmo e alguns jogadores começam a mostrar o descontentamento com atitudes de Leão, como o fez Preto Casagrande, que não gostou de ter participado de dois coletivos como titular e pouco antes do jogo ficou sabendo que Daniel ia começar jogando.Dessa forma, o jogo desta quarta é aguardado com muita expectativa em Santos. Mesmo com o desfalque de Alex, Basílio e Leandro Machado, o time precisa vencer ou sair do Equador com pelo menos um empate, o que pode acalmar um pouco os ânimos na Vila Belmiro. Caso haja uma derrota, o Santos ficará próximo da desclassificação e os dirigentes nem ousam pensar nisso, já que o objetivo é conquistar a Libertadores para disputar a terceira estrela de campeão mundial em Tóquio.A desclassificação no Paulista, um torneio de importância menor que a Libertadores, já havia provocado um grande mal-estar e diminuído a confiança em Leão. O risco de uma desclassificação na Libertadores pode ser o argumento definitivo para a troca de treinador, que pode ser Vanderlei Luxemburgo.REFORÇOS - O Santos não recebeu a resposta de Ricardinho a tempo de concluir as negociações para fazer a inscrição do meia na Libertadores e acabou desistindo da negociação. Assim, o grupo para essa competição teve três alterações: Deivid no lugar de Jerri, Leandro Machado na vaga de Robgol e Mateus é o substituto de Doni na relação de atletas inscritos.O zagueiro Alex passou por um raio-X na manhã desta segunda-feira e não constatada fratura em seu tornozelo. Como a região estava muito inchada, ele não fez a ressonância magnética e entrou imediatamente em tratamento de fisioterapia. O medico Carlos Taira preferiu não estimar o tempo que Alex ficará afastado. Já Leandro Machado, com uma fibrose no músculo posterior da coxa direita só será liberado na semana que vem. Basílio está treinando fisicamente e pode estar à disposição para o jogo de sábado contra o Juventude, na Vila Belmiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.