Leão conversa amanhã com o Santos

O planejamento para a próxima temporada do Santos passa pela renovação do contrato do técnico Leão, que deverá ser decidida amanhã, em reunião entre o presidente Marcelo Teixeira e o treinador. Depois disso, começará a análise do elenco, com a tentativa de renovar todos os contratos para manter a equipe, além de contratar reforços. "Fomos campeões, mas não vamos fazer loucuras", disse o diretor de futebol Francisco Lopes. Para ele, 2003 será um ano difícil para os clubes, já que as cotas de televisão foram reduzidas. "Quem fizer loucura, não saldará seus compromissos", previu. Francisco Lopes revelou que a intenção do presidente Marcelo Teixeira e do departamento de futebol é continuar com o técnico Emerson Leão dirigindo o time, mas adiantou que a renovação terá de ser feita dentro da política financeira do clube. Esse pode ser o entrave nas negociações, já que Leão teve seu trabalho valorizado pela coragem de lançar o time com os Meninos da Vila, experiência que deu certo: além de estabilizar a situação econômica do clube, que estava abalada com as contratacões milionárias dos anos anteriores, deu ao Santos o título que perseguia havia 18 anos e levou a equipe a voltar a disputar a Libertadores da América. Leão fez concessões ao ser contratado, chegou a pedir jogadores mas, depois de um período convivendo com a rapaziada, abriu mão dos pedidos e também dos atletas que o clube ofereceu. No meio do campeonato seu salário foi reajustado, assim como de alguns jogadores, mas agora ele quer um contrato que garanta receber o que merece. O treinador espera resolver essa questão ainda nesta quarta, pois há outros clubles interessados em seu trabalho.Sem loucuras - Francisco Lopes entende como normal a expectativa de um aumento salarial por conta da conquista do título, mas questiona: "se houvesse perdido, haveria redução salarial?" Por isso, a intenção da diretoria é manter a mesma política salarial que vem adotando. Má notícia para jogadores como Robert, Léo, Fábio Costa, Alberto e outros que estão no limite ou acima dele. "O Santos tem boa vontade para renovar e espera que os procuradores facilitem as negociações para que haja acordo", disse o diretor de futebol. A maioria dos jogadores, porém, tem contrato com prazo mais longo, o que tranqüiliza a diretoria para o início da temporada. Como o time irá disputar a Libertadores, surgiu o interesse de muitos deles em permanecer na Vila Belmiro, mesmo que a condição salarial não seja a esperada. Diego e Robinho, por exemplo, manifestaram o interesse em ficar, sabendo que o torneio internacional é a vitrine que pode valorizar ainda mais uma possível transferência para o futebol estrangeiro. Diego revelou que "nenhum dinheiro no mundo compra essa alegria que estou sentido". Segundo ele, nunca teve intenção de deixar a Vila Belmiro, "principalmente depois da conquista desse título e da classificação para a Libertadores". E completou: "Apenas começamos nossa história no clube e espero que continue com esse sucesso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.