Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Leão culpa juiz e time pela derrota

O técnico Emerson Leão ficou indignado com a atuação do árbitro de Brasília, Luciano Augusto Almeida, no jogo contra o Figueirense, sábado. Foi por culpa do juiz, segundo o treinador do São Paulo, que o time foi derrotado. O problema com a arbitragem aconteceu depois que o meia Alexandre Gaúcho entrou de maneira violenta no volante Alê e Luciano Almeida nada marcou.Revoltado, Leão abandonou a área reservada a ele e foi em direção ao árbitro para pedir uma punição ao jogador do Figueirense. Mas acabou sendo expulso de campo. "Quando isso aconteceu, o placar estava 0 a 0. Se ele tivesse marcado a falta e expulsado o jogador deles, ficaríamos com um jogador a mais em um momento muito importante. Ele mudou a história da partida", reclamou Emerson Leão. "É verdade que eu saí do espaço reservado, é verdade, mas fiz isso para comunicar o árbitro que o meu jogador havia sido agredido."Grafite concordou que o desempenho do juiz foi preponderante para definir o resultado. "Ele deixou de marcar algumas faltas e perdeu o controle. Todo mundo se preocupou em uma forma de matar o jogo e a partida acabou ficando muito truncada."Mas a atuação do time irritou ainda mais o técnico. Leão perdeu a paciência após a derrota para o Figueirense, que coloca o São Paulo na quarta colocação, com 65 pontos. "Nossa performance foi fraquíssima. Não apresentamos nada do que poderíamos ter feito. Chutamos poucas bolas no gol adversário. Fomos muito desorganizados, parecia até jogo de rua", disse.Reação - Para explicar as substituições, que não surtiram o efeito que o técnico esperava, Leão comparou. "Quando você troca de roupa, quer ficar mais bonito. É a mesma coisa com o time. Procurei melhorar a equipe, mas não tive a resposta que esperava", lamentou o treinador. O lateral-direito Cicinho avisa os companheiros: o tropeço diante do Figueirense não pode abalar o grupo para a seqüência do Campeonato Brasileiro. "Agora temos de esquecer essa derrota", disse o jogador. "Nós não apresentamos um bom futebol e perdemos. A gente sabia que mais cedo ou mais tarde isso iria acontecer. Ainda bem que isso aconteceu em um momento em que podemos nos recuperar." Ao contrário dos demais jogadores, Cicinho ainda mostra confiança em uma reação.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2004 | 16h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.