Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Leão diz que não ficou satisfeito nem com ele mesmo

Atônito. A palavra expressa com precisão o estado do técnico Emerson Leão após a derrota para o Palmeiras. Econômico nas palavras, mas sincero em apontar os erros do time, o treinador corintiano reconheceu a péssima jornada. ?Quando um time joga muito bem, é porque o outro permitiu certas coisas?, resumiu.?Precisamos ter tranqüilidade, mas o importante é que a arbitragem não teve influência no resultado?, desconversou. ?Os jogadores não devem estar satisfeitos, nem eu estou satisfeito com o que fiz.?Para Leão, o segundo gol do Palmeiras decidiu o jogo. ?Estávamos bem, mas depois não tivemos mais força para nos recuperar, apesar de eu ter mexido de todas as formas possíveis?, justificou. ?É o problema de se tentar empatar o jogo a qualquer custo e abrir espaços.?De fato, após Osmar balançar as redes, Leão parou de gesticular com o time. Cabisbaixo, acompanhou o restante da partida com os braços cruzados, na beira do banco de reservas.Valdivia e Edmundo foram os destaques do jogo, mas Emerson Leão não deu o braço a torcer. ?O jogador chileno teve bom desempenho, mas às vezes abusa da habilidade, o que é preocupante, para que não ocorram problemas mais graves no futuro?, desdenhou.Como de costume, Leão evitou criticar seus jogadores individualmente, mas deixou um recado para o meia Roger - que reclamou da postura defensiva do time na etapa inicial. ?Cansei de falar para ele ficar na frente?, apontou. ?Todo mundo tem de dar um pouco mais agora.?Metafórico, Leão deixou no ar que a situação do time se complica a cada jogo. ?Quando se está atolado num poço, a melhor maneira de sair do fundo é parar de cavar?, filosofou. ?Nós mesmos temos de encontrar a solução, como fizemos contra o Pirambu.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.