Leão evita polêmica com Luxemburgo

O técnico Emerson Leão não quis entrar novamente em polêmica com Vanderlei Luxemburgo. Durante a semana, o treinador são-paulino disse que o adversário se tratava de um time de celebridades. Neste domingo, porém, desconversou. "Eu gostaria de ter todos os jogadores do Santos. São pessoas importantes dentro de sua atividade", disse Emerson Leão.Segundo ele, explorar o lado psicológico dos jogadores foi um dos pontos fundamentais para que o São Paulo pudesse vencer. "Nós temos que usar tudo o que aprendemos com outros treinadores. Eu disse aos jogadores que todo mundo quer dançar com uma mulher bonita. E seria melhor ainda se depois conseguissem levá-la para casa. E fizemos isso da melhor forma possível."Leão deu aos jogadores a responsabilidade pela vitória. Esquecer o clima tenso criado para o jogo era o primeiro passo para que o São Paulo tivesse alguma chance de vencer o rival. "Assim fica fácil analisar o resultado. Os jogadores entenderam que o São Paulo só seria viável para qualquer treinador se eles se ajudassem dentro de campo. E foi uma vitória do coletivo, da garra, da determinação. Não permitimos que as estrelas do Santos, que são muitas, jogassem."Cicinho deu a clara demonstração de que o Santos estava realmente ?engasgado? na garganta dos jogadores são-paulinos. "Mostramos que temos condições de ganhar de qualquer equipe. Voltamos a brigar pelo título", disse o jogador, que perdeu um gol incrível no segundo tempo, após um cruzamento de Fábio Santos.Pivô de uma polêmica com o meia Elano nesses três confrontos contra o Santos - o jogador do time da Baixada disse que o zagueiro Lugano é violento - o uruguaio, único da defesa são-paulina que não recebeu cartão amarelo, declarou que a vitória foi um alívio para o seu time. "O Santos estava entalado na nossa garganta, sim. Por causa da eliminação na Copa Sul-Americana e por causa daquele gol do Ricardinho (aos 47 minutos do segundo tempo, no primeiro turno, 2 a 1 para o Santos, na Vila Belmiro). Agora nós tiramos um pouco desse peso das derrotas consecutivas", comentou o zagueiro.Sobre o problema com Elano, Lugano não quer mais falar do assunto: "Não tinha que provar nada. O que interessa é o trabalho que eu faço no dia-a-dia. Esse não é o assunto principal. Temos é que falar sobre a vitória do São Paulo. Foi uma prova de fogo para a nossa defesa, contra o ataque mais positivo de todo o Campeonato Brasileiro."A equipe se reapresenta nesta segunda-feira à tarde no CT e inicia os trabalhos para o jogo de quarta-feira, contra o São Caetano. "Esse é um time chato. Temos pouco tempo para saborear a vitória contra o Santos", observa o técnico Leão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.