Leão exige seriedade contra o Ituano

O Santos está classificado para a próxima fase do Paulista, mas o técnico Leão não quer desleixo na partida de domingo contra o Ituano, na Vila Belmiro. "Estamos decidindo qual será a nossa vaga", disse Leão, explicando que conta com uma vitória para ser beneficiado com o mando do jogo nas próxima etapa. Vencendo esse jogo, o Santos terminará em primeiro lugar em seu grupo, disputando a vaga para a semifinal com o São Paulo. "Se o Santos perder, corre o risco de ser o terceiro colocado e, se ganhar, com certeza será o primeiro", continuou o treinador, que prefere não correr riscos. "Temos que correr atrás porque o Ituano já está desclassificado e vai jogar sem preocupação. Portanto, a preocupação fica unicamente com nosso time".O Santos terá dois desfalques para o jogo contra o Ituano: Claiton e Paulo César. O volante irá cumprir suspensão automática por ter levado o terceiro cartão amarelo e será substituído por Paulo Almeida. "O Paulo Almeida sempre foi e continua sendo um grande jogador e, portanto, preocupação zero nessa substituição", comentou Leão.Já o lateral-direito Paulo César deixou o campo contundido no jogo de quinta-feira contra o equatoriano Barcelona, pela Libertadores da América, e ficará afastado do time durante duas ou três semanas, pelos cálculos do médico Carlos Braga. Ele sofreu uma lesão muscular no nervo posterior da coxa direita e foi substituído por Marco Aurélio, que será mantido na posição.O novo lateral teve duas participações importantes nos dois jogos que disputou com a camisa do Santos. No primeiro, fez o cruzamento para Basílio marcar o gol de empate contra o São Caetano e, na quinta-feira, cruzou com precisão para Robinho marcar o gol da vitória sobre o Barcelona.Expulsão - Leão não gostou da expulsão de Robinho na quinta-feira e já conversou com o jogador sobre isso. "No primeiro cartão, quem deveria ter recebido era o adversário, que cometeu uma falta grave, mas os juízes estão deixando algumas coisas acontecerem com essa tal de simulação, o que não é verdade".Já o segundo mereceu reparo do treinador: "Uma coisa foi conseqüência da outra e havia avisado o Robinho que o juiz estava louco para expulsá-lo e já conversei com ele sobre o que não devia ter acontecido". Mas Leão também defendeu seu jogador. "Ele também foi vítima de tanta pancada e de tanta capacidade que tem; ele apanhou muito e na primeira reação errada, aconteceu a expulsão que não deveria ter ocorrido".

Agencia Estado,

12 de março de 2004 | 17h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.