Leão gera polêmica por causa de tênis

O técnico Emerson Leão descumpriu cláusula do contrato da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com a Nike, ao calçar tênis de uma outra empresa de material esportivo, a Adidas, após o treino da seleção brasileira, nesta sexta-feira, no Estádio Municipal de Tóquio. O episódio pode fazer parte de uma estratégia de Leão: a de recorrer a artifícios como este para pressionar a Nike a lhe pagar uma quantia extra pelo uso do uniforme da empresa durante o período em que permanecer na seleção. A Nike, por meio de seus representantes, demonstrou contrariedade com o ocorrido.Talvez sem imaginar a repercussão do fato, Leão conseguiu piorar sua situação no comando da seleção. O treinador concedeu entrevista no estádio com a chuteira amarela, com três listras azuis, da concorrente alemã. A CBF tem contrato com a Nike até 2006, num valor estimado de US$ 160 milhões. Alegou que usara aquele calçado porque estava com dor no calcanhar. "Seria ideal que a seleção brilhasse tanto quanto meu tênis." Logo depois, seguiu para o vestiário exibindo o tênis da Adidas, com um par de chuteiras da Nike nas mãos. Na chegada ao Ana Hotel Tokyo, evitou abordar o assunto. "Não tenho nada para falar sobre isso."A atitude de Leão foi recebida com irritação pelo representante da Nike que acompanha a seleção em Tóquio, Paulo Ernani Souto. "Vou levar o caso ao Antônio Lopes", afirmou, referindo-se ao coordenador-técnico da seleção. "O Leão vai ficar sabendo que não pode, ou melhor, ele sabe que não pode." No Rio, o diretor de Comunicação da Nike, Ingo Ostrovsky, disse que a atitude do treinador deve ser analisada pela CBF. "O técnico Leão não tem vínculo formal com a Nike, apenas informal porque comanda a seleção. Ele é funcionário da CBF, que tem de tomar providências." O presidente Ricardo Teixeira está na Coréia e nenhum outro diretor da entidade comentou o episódio.Há uma outra dúvida em todo o incidente: quem levou o tênis da Adidas a Leão? A comissão técnica é formada por profissionais experientes e, por isso, fica praticamente descartada a hipótese de que o treinador tenha cometido um deslize por ingenuidade. Pelo contrato da CBF com a Nike, apenas os jogadores podem utilizar chuteiras ou tênis de outras marcas durante treinos e partidas da seleção. O documento estabelece ainda que toda a comissão técnica é obrigada a usar o uniforme da empresa quando está em atividade de campo pela seleção.Leão vem sendo muito criticado pelos maus resultados da seleção nos últimos meses. Ele teve recentemente de ficar em silêncio ao deparar-se com a determinação de Teixeira de não chamar jogadores de grandes clubes para a disputa da Copa das Confederações, de 30 de maio a 10 de junho. Dois dias antes, Leão dissera que não negociaria com clubes. Durante esse desencontro, Lopes foi quem divulgou a pré-lista de relacionados para o torneio do Japão. Foi a primeira vez que Leão esteve ausente de uma convocação. Isso suscitou outras interrogações a respeito de sua incompatibilidade com a direção da CBF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.