Leão ironiza presidente do São Paulo

Emerson Leão reagiu com ironia à promessa de uma contratação polêmica feita, na quinta-feira, pelo presidente do São Paulo, Marcelo Portugal Gouvêa. "Ele aprova, traz, quero ver aparecer aqui (no CT) para treiná-lo também. Achei gozada as palavras dele. Hoje, ele não me disse nada", alfinetou o treinador.O "jogador do presidente", expressão usada pelo próprio Marcelo Portugal Gouvês para tratar do assunto, seria a grande surpresa para 2005. Um jogador que independeria da aprovação de Leão, mas que teria de passar por uma série de testes até ganhar a confiança do treinador."Testes eu faço em jogador de categoria de base. Aqui no São Paulo estamos precisando de jogar acima da média. Tem que ser de 8 para cima. Não investiria em um atleta que ainda não seja conhecido", afirmou Emerson Leão. "Quem sabe não fui eu que indicou essa contratação polêmica ao presidente?"Na avaliação de Leão, o São Paulo não precisa se preocupar muito em contratações. A reformulação iniciada por Cuca, no início do ano, e a continuidade dada por ele próprio fez do São Paulo uma das equipes competitivas ao longo da temporada."Eu fiquei dois anos no Santos, depois passei pelo Cruzeiro, e gosto de usar esse termo porque saí o mais rápido possível para não prejudicar o clube, e vim para o São Paulo. Cheguei aqui e nem tive tempo para pensar. Mesmo assim, estávamos brigando pelo título até a rodada passada e, agora, temos chances de terminar com o vice campeonato", lembrou Leão.O treinador disse estar satisfeito com o trabalho que conseguiu realizar no São Paulo em pouco mais de três meses. "Eu estou feliz por termos montado uma boa base e seria interessante não vendermos nenhum atleta para seguirmos com esse trabalho em 2005. Eu acredito que com poucos jogadores já conseguiríamos aumentar o índice de aproveitamento assustadoramente. O ideal seria três jogadores de elite. Só jogadores de elite têm condições de jogar no São Paulo", avisou.Leão aproveitou para reforçar a sua indignação com a CBF, que convocou quatro jogadores para a seleção Sub-20. "Estou cansado de falar que faltou bom senso. Em vez de quatro, poderiam ter convocado apenas dois jogadores que já seria bem viável. O Alê e o Fábio (Santos) nem tiveram férias no ano passado porque foram aproveitados para a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Eles não são máquinas, são humanos", desabafou.Nesta sexta-feira, Leão recebeu uma boa notícia. Ele foi absolvido pelo STJD da expulsão no jogo contra o Flamengo, domingo passado, quando discutiu na beira do gramado com o auxiliar de arbitragem Jorge Paulo Gomes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.