Leão joga favoritismo para Corinthians

?Na minha época de goleiro, legal era ganhar do São Paulo, mas vencer o Corinthians valia bicho dobrado.? O técnico Emerson Leão contou nesta quarta-feira, na Academia de Futebol, mais uma capítulo da interminável rivalidade entre Palmeiras e Corinthians na semana de mais um clássico.?Por ser de família italiana, a rivalidade com o São Paulo era maior?, disse o hoje técnico, que foi goleiro do Palmeiras entre 1969 e 1978, referindo-se ao fato de o clube do Morumbi exigir, nos anos 40, a mudança de nome de Palestra Itália para Palmeiras por causa da Segunda Guerra Mundial. ?Mas, em compensação, derrotar o Corinthians valia bicho dobrado, pois o então diretor Gimenez Lopes não gostava do Corinthians.?Leão, que atuou pelo Corinthians em 1983, joga o favoritismo de domingo para o rival. ?Por ser o líder e por ter investido mais no início do campeonato?, afirmou o técnico do Palmeiras. Mas ele realça as qualidades da sua equipe. ?Uma vitória vai coroar um trabalho de recuperação. Tivemos muitos problemas físicos, suspensões, com um elenco reduzido, mas todos que entraram deram conta do recado.?No clássico de domingo, Leão espera que mais uma ausência não seja sentida. O artilheiro Marcinho, suspenso, está fora - Warley é o preferido para ficar com vaga. O lateral-esquerdo Fabiano, com dores na coxa esquerda, e o atacante Gioino, com dores no nervo ciático, vão ser reavaliados nesta quinta-feira.

Agencia Estado,

12 de outubro de 2005 | 18h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.