Leão, Lopes e Parreira falam na CPI

O técnico da seleção brasileira, Emerson Leão, disse nesta terça-feira na CPI da CBF/Nike, na Câmara, que o mercado de treinador de futebol está desacreditado porque "muitas vezes não existe união entre os profissionais e também quem analisa o trabalho desses nem sempre tem a experiência necessária." Leão também defendeu estágio de 2 anos para ex-jogadores que pretendem se candidatar a técnico de futebol. ?Após esse período o ex-atleta seria submetido a uma junta composta por profissionais da área e integrantes do Ministério dos Esportes quando seria possível avaliar sua capacidade técnica?.Já o coordenador-técnico, Antônio Lopes, defendeu a criação de um conselho "a exemplo da OAB" que avaliaria a capacidade do ex-atleta que pretende se tornar técnico. Lopes disse também que a profissão de técnico de futebol precisa ser regulamentada por lei "para que seja mais acreditada". Além de Leão e Antônio Lopes, o ex-tecnico da Seleção, Carlos Alberto Parreira também participa da audiência pública. O técnico do Cruzeiro, Luiz Felipe Scolari alegou compromissos inadiáveis para não comparecer ao encontro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.