Leão manda um recado aos inimigos

A enorme vantagem de Emerson Leão em relação a Wanderley Luxemburgo está nos 16 anos que o ex-goleiro defendeu a seleção brasileira. Pertencer à elite do futebol do País desde os 19 anos e conhecer tudo de bom e de ruim que acompanha o time do Brasil foi fundamental para moldar o seu comportamento agora como treinador. O novo técnico do Brasil não vai se expor tanto como o seu antecessor. A uma semana do seu batismo como treinador da seleção em uma partida das Eliminatórias fora do País, contra o Equador e a altitude de Quito, Leão deu uma entrevista exclusiva e esclarecedora ao JT.Durante 1 hora e 45 minutos ele falou muito do lado pessoal. Aos 51 anos, mantém a personalidade forte que o marcou como jogador. Sincero, muita vezes duro, demonstra que está se preparando para o que chama de ?fluxo de mentiras? que o acompanhará até a Copa do Mundo de 2002. Seja o inimigo um jornalista ou o ex-companheiro de Corinthians, Sócrates. "Esse está morto. Fala de mim para ganhar ibope", desabafa Leão.Leia a entrevista completa no JT

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.