Leão mantém dúvida na lateral-direita do Atlético-MG

Sem poder contar com o lateral-direito Marcos Rocha, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o técnico Emerson Leão testou Werley e Yuri na posição no treino desta sexta-feira, mas ainda mantém o mistério para o jogo de domingo, contra o Villa Nova, no Mineirão.

AE, Agencia Estado

20 de março de 2009 | 15h54

"O Werley treinou só o primeiro tempo porque não queremos forçá-lo, foi só para saber se ele pode jogar. O Yuri tem características totalmente diferentes. O Werley é mais corpo, mais raça. Já o Yuri é mais velocidade, destreza, inteligência e tática ofensiva", explicou o treinador.

Werley, que esteve entre os titulares apenas na primeira metade do treinamento, ainda se recupera de um trauma no joelho esquerdo, e por isso Leão pretende esperar até sábado para definir o time. "Se ele sentir, não vai nem para o banco; do contrário, tem grande possibilidade de jogar, a não ser que, por jogar em casa, a gente possa tender a jogar com um time mais ofensivo, nesse caso entra o Yuri?, explicou o treinador.

Apesar da lesão, Werley tenta manter o otimismo. "Não estou sentindo mais nenhuma dor e apenas o inchaço está incomodando um pouco. Estou confiante de que, no domingo, vou estar bem para poder ajudar o Atlético", comentou.

Além do desfalque de Marcos Rocha, o Atlético-MG não terá Renan, que também está suspenso. A definição acontece no treino da manhã deste sábado, mas o time deve entrar em campo com: Juninho; Werley (Yuri), Leandro Almeida, Welton Felipe e Júnior; Júnior Carioca, Márcio Araújo, Carlos Alberto e Renan Oliveira; Éder Luis e Diego Tardelli.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.