Leão mantém o mistério de sempre no ataque

Basílio ou Robgol no comando do ataque? Mais uma vez Leão deixou para definir isso na hora do jogo. "O Rob tem feito gols importantes e para isso foi contratado, enquanto o Basílio faz um bom trabalho lá na frente", comentou Leão. Só que na partida deste sábado contra o União Barbarense os dois podem até jogar juntos, caso o treinador resolva entrar com uma equipe ainda mais ofensiva.Leão mesmo admite que isso tem poucas chances de acontecer, mas para os dois atacantes que disputam a posição a cada partida, seria a solução ideal. "Já tivemos várias partidas com três atacantes e em todos a média de gols foi muito boa", lembrou Basílio, que vê um inconveniente nessa formação. "O meio-de-campo fica meio desguarnecido e, por isso, nós temos de estar ajudando, pois não pode haver problema naquele setor que facilite a vida dos adversários que jogam fechados na Vila Belmiro, esperando justamente uma falha para saírem em contra-ataques".Uma forma que Basílio vê para furar o bloqueio que os adversários adotam quando jogam na Vila é explorar as jogadas de velocidade pelas laterais de campo, um esquema favorável ao seu estilo de jogo. "Mas quem entrar dará conta do recado, como todos têm dado até aqui".Robgol também pretende jogar e não vê problemas na formação com três atacantes: "com mais um homem lá na frente é melhor e, por isso, precisamos definir a partida nos 90 minutos". E ele explica: "eu me posiciono mais à frente e sou referência para o Basílio, o Robinho e para o pessoal que vem de trás". Para ele, é importante poder disputar um jogo decisivo como esse, "para marcar gols e ajudar a equipe".O centroavante comenta que o fato de a vaga para a semifinal ser decidida em apenas uma partida não aumenta a pressão sobre os atacantes. "A gente passa por isso em todos os jogos, mas estamos sempre ali, preparados para matar a partida".Basílio destacou que a única vantagem que o Santos terá no jogo deste sábado é o fato de disputar em casa a vaga para a próxima fase. "É sempre perigoso definir a vaga num jogo só e, respeitando o adversário, o Santos tem condições de vencer e sabemos que a chegada à final só depende de nós".

Agencia Estado,

19 de março de 2004 | 17h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.