Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Leão mexe com brio dos palmeirenses

Ao falar abertamente que não tem um time titular definido, o técnico Emerson Leão mexeu com o brio de todos os seus jogadores. Marcos, por exemplo, já justifica sua falta de motivação. "Não era por jogar e sim, por jogar com dor", afirmou o goleiro, não escondendo a ansiedade pela volta. Sua vontade é a de atuar no domingo, diante do Atlético-PR. Sem treino, porém... "Mas segunda-feira já estou legal", garantiu. Na quarta-feira acontece o clássico diante do São Paulo, no Morumbi. O goleiro pediu para Leão um treino diferenciado: 2 dias físico e 3 com bola. Deve ser atendido. Tudo para não voltar a sofrer com as dores no pulso esquerdo, no qual atua com proteção de esparadrapo há cinco anos. Operou em 2000 e 2004. "Jogador operado não tem como treinar igual aos demais", salientou, afirmando que, sempre melhora após 10 dias de inatividade, como agora. Brigará com Sergio pela vaga. Muñoz retorna semana que vem e, pelas palavras de Leão, com boas chances de voltar ao time. Claro quando entrar em forma. Tudo por que jogadores rápidos e talentosos estão na preferência do treinador, analisando o elenco para 2006. A prova é que, dos 5 atacantes, só Washington foi utilizado até agora. Gioino, Warley, Ricardinho e Alex Afonso aguardam chance. Quem ganha oportunidade amanhã e está motivado é o lateral-esquerdo Fabiano. Lúcio está machucado. "Quero demonstrar meu valor e seguir no Palmeiras", afirma. Seu contrato vence em dezembro. Tentará repetir o futebol que o consagrou no Atlético-PR. "Alguém está vendo meu esforço."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.