Leão não aceita favoritismo no clássico

O técnico Emerson Leão tem muito respeito e nenhum medo do Corinthians, adversário desta quarta-feira, às 16 horas, no Morumbique. Não acredita que a ausência dos jogadores convocados para a seleção sub-23 (Robinho, Diego, Paulo Almeida e Alex) possa dar vantagem ao adversário. ?Acredito muito nesse grupo novo que formamos. Fizeram sete gols em dois jogos e isso precisa ser muito respeitado.? Se pede respeito ao seu time, Leão descarta um possível favoritismo baseado em estatísticas. Afinal, o Santos venceu os cinco últimos jogos contra o Corinthians (12 gols a favor e cinco contra) e é o time com melhor desempenho no Brasileiro, em jogos fora de casa. O aproveitamento é de 61%, resultante de três vitórias, dois empates e uma derrota. ?Tudo isso é bom, mas não garante uma vitória. Nós estamos na frente deles na tabela, eles buscam subir e nós pensamos em manter a nossa posição, mas o jogo é igual. Qualquer um pode vencer, são dois grandes times." Nesta quarta-feira, Leão define o time. A dúvida é se Elano (que se recupera de uma lesão no ligamento medial colateral do joelho direito) volta ou não. ?Fizemos um minicoletivo apenas para ver a sua reação. Se ele não sentir nenhuma dor, volta ao time. Se não der, joga o Reginaldo Araújo?, diz o técnico santista. A volta de Elano é certa, apesar da precaução de Leão. Pereira também está escalado. ?Contra o Bahia, eu pedi para o Pereira levar o terceiro cartão amarelo e ele me obedeceu. Por isso, ele volta ao time, apesar de o Preto ter jogador muito bem contra o Coritiba.? Pereira se lembra como foi difícil conseguir o terceiro amarelo e fala de sua preocupação para o jogo desta quarta-feira. ?Demorei para cobrar uma falta e nada de o juiz me dar o amarelo. Só chutei quando ele resolveu me punir. Contra o Corinthians, a grande preocupação é o Liedson. Ele é baixinho, mas se coloca muito bem em campo. Se eu estiver na marcação dele, o André Luis fica marcando a bola e vice-versa.? A preocupação dos jogadores do Santos é não entrar em campo com motivação menor que a do Corinthians. ?Quem acha que o jogo é mais importante para eles está muito enganado. Nós queremos ficar em cima na tabela de classificação e não podemos dar chances?, diz Leão. Fabiano concorda. ?O Corinthians perdeu os cinco últimos jogos contra o Santos e está muito motivado. Se nós sabemos disso, temos que estar mais motivados ainda, não vamos dar essa vantagem para eles.? Léo preferiu falar em crise do Corinthians, mas mostrando respeito ao adversário. ?Eles não estão bem, a crise está rondando o time deles, mas tem muito jogador bom no Corinthians, além do treinador. É preciso ter cuidado com eles.? Ricardo Oliveira sabe que esse não é um jogo comum. E sabe também que precisa ajudar o Santos a vencer. ?Estou sentindo falta de gols. Fiquei machucado um tempo e estou voltando, mas já estou bem.? O último gol de Ricardo Oliveira foi em 10 de maio, contra o Nacional de Montevidéu, na Vila. Teve uma contusão nos ligamentos do joelho direito e ficou 39 dias sem jogar. Voltou nos jogos contra o Boca Juniors, mas ficou em branco. ?Nada melhor do que fazer um gol contra o Corinthians.?

Agencia Estado,

08 de julho de 2003 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.