Leão não escolhe próximo adversário

Depois de ressaltar que "o importante é estar na semifinal", o técnico Emerson Leão comentou que o jogo entre São Paulo e São Caetano será tão difícil quanto o do Santos deste domingo. "Você pode ter uma superioridade momentânea, mas o emocional vai afunilando e as coisas se tornam mais difícieis." Ele não irá ao Morumbi para ver o próximo adversário no Paulista e revelou que não tem preferências. "Nós temos dificuldades contra esses dois times, que foram os que mais e melhor contrataram. Jogar contra um time com mais de onze jogadores é sempre mais difícil." Antes de pensar nesse adversário, Leão se preocupa com o paraguaio Guaraní e já anunciou que não irá poupar jogadores na quinta-feira. É que uma vitória nessa partida dá ao Santos a liderança definitiva do grupo, mas a classificação já está garantida. O que não agrada o treinador é o retorno do Paraguai. A chegada está prevista para a sexta-feira à noite e, por isso, vai treinar seu time naquele dia aprontando-o para o primeiro jogo da semifinal do Paulista. Leão passou a semana evitando falar no técnico da Barbarense, mas neste sábado respondeu a uma pergunta sobre Sérgio Farias. "Fui eu quem disse que vou parar daqui cinco anos e é verdade, ele foi um papagaio de repetição." Depois, sem se referir ao desafeto, comentou, como que aconselhando. "As palavras erradas não levam ninguém a melhorar. Para crescer, não precisa diminuir ninguém; pelo contrário, é tentar imitar os bons porque nada é feito por acaso e o que se faz é copiar e tentar aprimorar." E concluiu. "Só posso desejar que todos sejam felizes. Daqui cinco anos vou parar e vai sobrar uma boa vaga."

Agencia Estado,

20 de março de 2004 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.